Mercado fechará em 29 mins

Demitido da Funarte, ex-assessor de Carlos Bolsonaro volta ao órgão 15 dias depois

Redação Notícias
·2 minutos de leitura
Luciano Querido assume presidência da Funarte - Foto: Reprodução/Facebook
Luciano Querido volta à Funarte após ter sido exonerado da presidência, há cerca de 15 dias. (Foto: Reprodução/Facebook)

Duas semanas após ter sido exonerado da presidência da Funarte (Fundação Nacional de Artes), Luciano da Silva Barbosa Querido, ex-assessor do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), foi recontratado pelo órgão.

Agora, Querido assume um cargo de diretor do Centro de Artes Visuais, conforme nomeação publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira (1º). A saída do ex-assessor da presidência da Funarte aconteceu no dia 14 de setembro, em uma portaria foi assinada pelo ministro da Casa Civil, general Walter Braga Netto.

A trajetória do ex-assessor de Carlos na Funarte começou em março deste ano, quando foi nomeado diretor do Centro de Programas Integrados da Funarte, com salário de R$ 10.373. Somou outros R$ 3.250 ao contracheque ao ser promovido a diretor-executivo da fundação.

Depois, passou a exercer o cargo de presidente substituto do órgão (R$ 16.944), após a anulação da nomeação de Dante Mantovani. O maestro Dante Mantovani é aquele segundo quem os Beatles surgiram para implantar o comunismo e o rock incentiva o sexo e a "indústria do aborto".

Leia também:

Em 13 de julho, com o afastamento definitivo de Mantovani da direção, Querido assumiu a presidência da Funarte de forma oficial, onde se manteve pelos últimos 2 meses, até ser exonerado para dar lugar a Lamartine Barbosa Holanda, coronel da reserva do Exército.

O ex-funcionário do filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) não possui formação específica para a área e nem experiência em produção cultural. A atuação de Querido no gabinete de Carlos Bolsonaro foi longa: de 2002 a 2017.

De acordo com um currículo publicado numa rede social, o ex-assessor de Carlos afirma que a função desempenhada no gabinete do vereador consistia em cuidar de “toda a parte de informática, como designer gráfico, web designer, banco de dados e mídias sociais”.

A Funarte tem como missão promover e incentivar a produção, a prática, o desenvolvimento e a difusão das artes no país. O órgão é responsável pelas políticas públicas federais de estímulo à atividade artística brasileira.