Mercado fechado

Demissão de Ramón Díaz pelo Botafogo revolta Honda; Japonês ameaça deixar o clube

Nathalia Almeida
·1 minuto de leitura

Dono de uma história rica e gloriosa, o Botafogo, em virtude das administrações irresponsáveis, convive há anos com o status de coadjuvante em cenário brasileiro. Salvo raras exceções, são anos e anos consecutivos brigando apenas para permanecer na elite nacional, cenário que machuca seu fiel torcedor. 2020 não é diferente, mas traz pitadas ainda mais cruéis, afinal, trata-se de um ano crucial para as expectativas do Botafogo S/A.

Nesta sexta-feira (27), o Alvinegro esteve mais uma vez 'no olho do furacão' ao tomar uma atitude muito criticada por torcedores e imprensa esportiva: demitiu o técnico argentino Ramón Díaz antes mesmo de sua estreia oficial, alegando não ter tempo hábil para esperar a recuperação do profissional, que precisou passar por uma cirurgia recentemente e vem lidando com um delicado problema de saúde.

Libertad v Boca Juniors - Copa CONMEBOL Libertadores 2020 | Pool/Getty Images
Libertad v Boca Juniors - Copa CONMEBOL Libertadores 2020 | Pool/Getty Images

Além de chocar a opinião pública, a decisão aparentemente também não foi bem aceita entre os jogadores alvinegros. Através de sua conta oficial no Twitter, o meia Keisuke Honda escancarou sua frustração com os rumos tomados pelo Botafogo: "Inacreditável. Começarei a pensar em deixar o clube se não me convencerem nos próximos dias", publicou.

Contratado para ser a grande referência técnica e alavancar o marketing do clube, o camisa 4 japonês tem vínculo formal com o clube carioca até fevereiro de 2021.