Mercado fechado

Demanda por transporte rodoviário de cargas no Brasil tem 1º recuo em um mês

SÃO PAULO (Reuters) - A demanda por transportes rodoviários de cargas no Brasil piorou pela primeira vez em quase um mês na última semana, atingindo queda de 35,94% em relação aos níveis verificados antes da pandemia de coronavírus, indicou pesquisa divulgada nesta quarta-feira pela NTC&Logística.

De acordo com o levantamento, houve uma queda de 2 pontos percentuais em relação à semana anterior, quando o registro havia atingido o melhor nível desde março.

O último recuo havia sido registrado na semana entre 18 e 24 de maio.

Apesar do resultado negativo na semana passada, a demanda ainda está distante das mínimas registradas em meados de abril, quando atingiu variação negativa de 45,2% na comparação com os níveis pré-crise sanitária e econômica.

A NTC&Logística realiza sondagens sobre a demanda por transportes rodoviários de cargas no país desde meados de março, quando os efeitos mais drásticos da pandemia de coronavírus começaram a ser sentidos.

Mesmo com o recuo de demanda na última semana, o percentual de empresas que tiveram queda no faturamento em função da pandemia permaneceu em 89%, mesmo nível verificado na semana anterior. O índice chegou a bater 94% no final de maio.

Para cargas fracionadas, que contêm pequenos volumes, a sondagem mostrou uma piora de pouco mais de 2 pontos na comparação semanal, atingindo variação negativa de 33,3% frente aos níveis pré-pandemia.

Já para cargas lotação, que ocupam toda a capacidade dos veículos e são utilizadas principalmente nas áreas industriais e agrícolas, a retração chegou a 37,4% na semana, praticamente em linha com o resultado da pesquisa anterior.


(Por Gabriel Araujo)