Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.782,10
    +21,40 (+1,22%)
     
  • BTC-USD

    48.443,95
    -7.018,67 (-12,65%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Demanda por material de construção seguirá forte em 2022, prevê Dexco

·2 min de leitura

SÃO PAULO (Reuters) - A Dexco não espera que o mercado de construção civil no Brasil tenha forte retração em 2022 diante das incertezas macroeconômicas e da alta dos juros em curso no país.

Executivos da companhia afirmaram nesta quinta-feira que, ao contrário, a demanda pode até crescer.

"O histórico mostra que ano de eleicão é bom para o nosso segmento, com aumento de gasto público", afirmou o presidente da fabricante de paineis de madeira e louças e metais sanitários, Antonio de Oliveira, em conferência com analistas.

A Dexco divulgou na noite da véspera menor volume de vendas em suas principais divisões de negócios no terceiro trimestre, mas reajustes de preços impulsionaram uma alta de 52% no lucro recorrente do período.

"O setor de construção civil vai seguir firme (em 2022). Pode ser que diminuam lançamentos ano que vem, mas o efeito disso no nosso mercado virá em 2023 ou 2024", disse o executivo.

Ele citou "a enorme carteira" de obras em andamento no país, que demandarão materiais de acabamento, especialidade da Dexco, ao longo de 2022 e 2023. "Tivemos um boom no segmento de luxo. É impressionante o crescimento deste segmento e nestas construções temos uma participação muito maior", disse Oliveira.

Às 13h06, as ações da Dexco exibiam queda de 5,15%, entre as maiores baixas do Ibovespa, que tinha recuo de 0,48% no horário.

Oliveira também disse que a demanda dos mercados externos por produtos de madeira está forte e que a Dexco, que tem investido em aumento de capacidade de produção de várias linhas de produtos, "certamente" terá chance de elevar exportações caso a demanda do mercado interno recue no próximo ano.

Segundo o executivo, os resultados da Dexco em 2022 devem ser similares aos apresentados atualmente pela companhia.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos