Demanda por petróleo será puxada pela China em 2013

A Agência Internacional de Energia (AIE) elevou sua previsão para a demanda por petróleo em 2013, citando expectativas de aumento na demanda da China, que é o segundo maior consumidor da commodity do mundo. Em seu relatório mensal, a AIE estimou que a demanda global em 2013 crescerá 240 mil barris por dia (BPD), para 90,8 milhões de bpd. No relatório de dezembro a previsão da AIE era de 90,5 milhões de bpd.

No entanto, a projeção de demanda global mais forte aparece em um momento no qual a produção da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) diminui, com uma queda para o menor nível em um ano em dezembro passado, observou a AIE. Isso pode significar que os preços estão bem sustentados nos níveis atuais. Os preços do petróleo seguem consistentemente altos, apesar das preocupações macroeconômicas na Europa e nos EUA, que limitam a demanda. "O mercado parece mais apertado do que nós imaginávamos", afirmou a agência.

Na China, que sozinha foi responsável por dois terços do crescimento total da demanda nos quatro anos até 2011, os gastos com infraestrutura e o maior uso da eletricidade e das ferrovias podem sustentar um crescimento na demanda, disse a AIE. Mas a agência alertou que os altos níveis de dívida e as incertezas econômicas na China podem provocar fortes oscilações na demanda, em ambas as direções, durante o ano.

Sobre a Europa, a AIE comentou que o cenário ainda é sombrio. As projeções da agência para a demanda da região são de queda de 1,7% em 2013, para 13,6 milhões de bpd. Isso ocorre depois de a demanda europeia apresentar no terceiro trimestre de 2012 a maior contração trimestral desde o início da crise financeira global, em 2008.

A produção de países que não fazem parte da Opep deve subir 1 milhão de bpd neste ano, para 54,3 milhões de bpd. Em dezembro a produção da Opep caiu em razão de cortes na produção do Iraque e da Arábia Saudita. "Não há nada para o mercado global se preocupar", afirmou a AIE no relatório. "Especulações de que a recente menor produção saudita responde a um desejo de preços mais altos parecem equivocadas", acrescentou.

A AIE estima que a receita da Opep atingiu o pico em 2012, em mais de US$ 1 trilhão, por causa do aumento da produção em diversos países e dos preços recordes do petróleo tipo brent.

No norte da África, setores de energia estão enfrentando problemas. A produção da Líbia caiu 50 mil bpd em dezembro, para 1,4 milhão de bpd. Além disso, o sequestro de trabalhadores estrangeiros em uma instalação de gás na Argélia nesta semana e a operação militar para resgatá-los está lançando uma sombra sobre a produção no país.

As informações são da Dow Jones.

Carregando...