Mercado fechado

Demanda compensa problemas de fornecimento por coronavírus e PMI de indústria do Brasil acelera em fevereiro

Por Camila Moreira

Por Camila Moreira

SÃO PAULO (Reuters) - O setor industrial do Brasil ganhou tração em fevereiro, diante do aumento da demanda e do nível de empregos, compensando atrasos nas entregas de fornecedores em meio ao surto de coronavírus, mostrou a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês).

O IHS Markit informou nesta segunda-feira que o PMI de indústria subiu a 52,3, de 51,0 em janeiro, no melhor resultado desde novembro.

As categorias de bens de consumo e de bens intermediários mostraram ganhos, contrastando com a retração mais acentuada por mais de três anos nos fabricantes de bens de capital.

O coronavírus que se originou na China e vem afetando cadeias de oferta em todo o mundo exerceu peso em fevereiro sobre a indústria brasileira, uma vez que contribuiu para atrasos nas entregas de materiais junto aos fornecedores.

"A deterioração no desempenho dos fornecedores foi uma das mais acentuadas nos 14 anos de história da pesquisa", apontou o IHS Markit em nota.

Os prazos de entrega dos fornecedores alongaram-se em fevereiro da maneira mais significativa em mais de um ano e meio, segundo a pesquisa.

Mesmo assim, a produção consolidada cresceu no ritmo mais forte em três meses, com várias empresas citando melhora na demanda e nas condições econômicas, além de reposição de estoques.

Os novos pedidos aumentaram em fevereiro, na taxa mais forte desde novembro passado, em meio a lançamentos de novos produtos e novas parcerias.

Esses novos pedidos foram gerados em grande parte internamente, uma vez que as encomendas para exportação voltaram a cair. Mas essa contração nas vendas internacionais foi a mais fraca no atual período de seis meses de redução.

A melhora na demanda e os planos de expansão de negócios ajudaram o nível de emprego em fevereiro a aumentar no setor industrial brasileiro pelo segundo mês seguido e pela taxa mais rápida desde setembro de 2019.

O mês continuou apresentando elevando grau de otimismo no setor industrial, com as empresas prevendo que investimentos, maior número de clientes e diversificação de produtos impulsionem o crescimento da produção ao longo dos próximos 12 meses.