Mercado abrirá em 2 h 37 min
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,33 (-0,68%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,59 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,91
    +0,93 (+1,26%)
     
  • OURO

    1.747,10
    -4,60 (-0,26%)
     
  • BTC-USD

    43.897,98
    +845,57 (+1,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.093,95
    -9,11 (-0,83%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,20 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.067,77
    +16,29 (+0,23%)
     
  • HANG SENG

    24.208,78
    +16,62 (+0,07%)
     
  • NIKKEI

    30.240,06
    -8,75 (-0,03%)
     
  • NASDAQ

    15.283,25
    -35,50 (-0,23%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2436
    -0,0120 (-0,19%)
     

Delta se espalha enquanto médicos estudam se variante deixa pacientes mais doentes

·2 minuto de leitura
Enfermeiras aguardam e centro de vacinação contra Covid-19 em Detroit

Por Deena Beasley

LOS ANGELES (Reuters) - Diante de uma nova onda de infecções de Covid-19 atiçada pela variante Delta em países de todo o mundo, especialistas em doenças estão se apressando para descobrir se a versão mais recente do coronavírus está deixando as pessoas mais doentes do que antes, sobretudo as não-vacinadas.

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) alertou que a Delta, identificada primeiramente na Índia e hoje predominante em todo o globo, é "provavelmente mais severa" do que versões anteriores do vírus, de acordo com um relatório interno divulgado na sexta-feira.

A agência citou pesquisas no Canadá, Cingapura e Escócia que mostraram que pessoas infectadas com a variante Delta têm mais probabilidade de ser hospitalizadas do que pacientes do início da pandemia.

Em entrevistas à Reuters, especialistas em doenças disseram que os três estudos apontam um risco maior da variante, mas que os estudos de populações são limitados e que as descobertas ainda não foram revisadas por especialistas externos. Médicos que tratam pacientes infectados com a Delta descreveram um surgimento mais rápido de sintomas de Covid-19, e em muitas regiões um aumento geral de casos graves.

Mas os especialistas disseram que mais trabalho é necessário para se comparar resultados entre números maiores de indivíduos em estudos epidemiológicos para se determinar se uma variante causa doenças mais graves do que outra.

"É difícil precisar o aumento da gravidade e o viés populacional", disse Lawrence Young, virologista da britânica Escola de Medicina de Warwick.

Além disso, é provável que a taxa de transmissão extraordinária da Delta também esteja contribuindo para um número maior dos casos graves chegando aos hospitais, disseram os especialistas.

A Delta é tão contagiosa quanto a catapora e muito mais do que a gripe ou o resfriado comuns, segundo o relatório do CDC.

Shane Crotty, virologista do Instituto de Imunologia La Jolla da cidade norte-americana de San Diego, disse que a indicação mais clara de que a variante pode causar doenças mais graves vem do estudo escocês, que revelou que a Delta praticamente dobrou o risco de hospitalização na comparação com uma versão anterior.

A maioria das hospitalizações e mortes por coronavírus nos EUA está ocorrendo em pessoas que não foram vacinadas, mas há indícios de que as vacinas são menos eficazes em pessoas com sistemas imunológicos comprometidos, incluindo os idosos.

Para indivíduos vacinados e de resto saudáveis, as chances são de que, se contraírem a Covid-19, só terão uma doença assintomática ou amena, disse o doutor Gregory Poland, especialista em doenças infecciosas da Clínica Mayo.

(Por Deena Beasley em Los Angeles, Josephine Mason em Londres e Julie Steenhuysen em Chicago)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos