Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,91 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,62 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.753,90
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    47.615,87
    -403,48 (-0,84%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,44 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.530,00
    +12,25 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

Delegado do incêndio de Borba Gato quer manter Paulo 'Galo' preso

·1 minuto de leitura
***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 28.07.2021 - O entregador e ativista Paulo Roberto da Silva Lima, o Galo, se apresenta na delegacia de polícia de Santo Amaro sendo suspeito do incêndio na estátua do Borba Gato. (Foto: Bruno Santos/Folhapress)
***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 28.07.2021 - O entregador e ativista Paulo Roberto da Silva Lima, o Galo, se apresenta na delegacia de polícia de Santo Amaro sendo suspeito do incêndio na estátua do Borba Gato. (Foto: Bruno Santos/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O delegado da Polícia Civil do Estado de SP Deglayr Tavares Barcellos Junior se manifestou pela revogação da prisão temporária de Gessica de Paula Silva, mulher do entregador de aplicativos Paulo Roberto da Silva Lima, o Paulo Galo.

​A defesa de Galo aguarda uma decisão da juíza Gabriela Marques da Silva Bertoli​, do Fórum Criminal da Barra Funda, nas próximas horas.

Galo, uma da pessoas suspeitas de participação do incêndio da estátua de Borba Gato no último dia 24, e Gessica foram presos na quarta-feira (28).

Os dois se apresentaram de forma espontânea ao delegado responsável pela investigação. Galo admitiu participação no ataque ao monumento na zona sul de São Paulo e afirmou que sua mulher nem estava presente. Ainda assim, ambos tiveram decretada a prisão temporária, por cinco dias.

Segundo o advogado André Lozano Andrade, o delegado entendeu que não é possível confirmar a participação direta de Gessica no ato. Diz ainda que análise do celular de Gessica indica que ela estava próxima de sua casa, longe do local do ato.

O delegado também requereu à juíza a manutenção da prisão temporária de Paulo Galo, e sua prorrogação pelo prazo de cinco dias. "A prisão é desnecessária e ilegal, uma vez que o Paulo se apresentou espontaneamente e permitiu que fizessem buscas em sua residência e desde o primeiro momento colaborou com as investigações", diz Lozano.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos