Mercado abrirá em 7 h 53 min
  • BOVESPA

    118.328,99
    -1.317,01 (-1,10%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.810,21
    -315,49 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,44
    -0,69 (-1,30%)
     
  • OURO

    1.861,00
    -4,90 (-0,26%)
     
  • BTC-USD

    31.009,61
    +441,89 (+1,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    614,07
    -65,84 (-9,68%)
     
  • S&P500

    3.853,07
    +1,22 (+0,03%)
     
  • DOW JONES

    31.176,01
    -12,39 (-0,04%)
     
  • FTSE

    6.715,42
    -24,97 (-0,37%)
     
  • HANG SENG

    29.434,90
    -492,86 (-1,65%)
     
  • NIKKEI

    28.626,45
    -130,41 (-0,45%)
     
  • NASDAQ

    13.348,75
    -46,75 (-0,35%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5142
    +0,0058 (+0,09%)
     

Delegacia virtual passa a oferecer acessibilidade para o registro online de BOs

Rui Maciel
·2 minuto de leitura

O Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) anunciou na última quarta-feira (24) que o sistema Delegacia Virtual, usado para o registro online de boletins de ocorrência, agora possui acessibilidade, que permitirá o atendimento de pessoas portadoras de deficiências motoras ou visuais. Inicialmente, a funcionalidade está disponível para os estados do Acre, Alagoas e Rio Grande do Norte, mas, em breve, será estendido a outras localidades.

No momento, a solução pode ser utilizada para comunicar extravio, furto e crimes de menor potencial, como ameaça, calúnia, injúria, difamação e estelionato. Mas a plataforma poderá abranger outros tipos de crimes, atendendo às necessidades de cada unidade federativa como, por exemplo, durante a pandemia de Covid-19.

No total, são 19 tipos de ocorrências relacionadas aos fatos mais comuns do dia a dia, correspondendo a, pelo menos, 50% da quantidade registrada na Polícia Civil. Os registros são recebidos na Delegacia Virtual para análise da Polícia Civil do estado, que é responsável por aprovar ou recusar a comunicação. Em caso de aprovação, o cidadão recebe uma cópia do BO por e-mail, podendo também recuperá-lo e acompanhá-lo pelo sistema.

Site do Delegacia Virtual:pessoas portadoras de deficiência agora poderão utilizar a plataforma (Captura de imagem: Rui Maciel)
Site do Delegacia Virtual:pessoas portadoras de deficiência agora poderão utilizar a plataforma (Captura de imagem: Rui Maciel)


O sistema foi desenvolvido pelo Serpro para a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) do Ministério da Justiça e integra o sistema de segurança nacional com os sistemas estaduais. Segundo Lavoisier Vieira, gerente da Divisão do Domínio de Justiça e Segurança Pública do Serpro, foram necessárias a implementação de uma série de adaptações no sistema, seguindo as recomendações do Modelo de Acessibilidade em Governo Eletrônico (eMAG).

“As recomendações adotadas permitem que a acessibilidade digital seja padronizada e coerente com as necessidades brasileiras e em conformidade com os padrões internacionais. A solução, já no início do próximo ano, irá atender a pessoas com deficiências visuais, que vão desde a dificuldade na distinção de cores, baixa visão até cegueira, com o uso de leitores de tela. E também à deficiência motora, podendo ser habilitado o uso apenas do teclado, sem a necessidade do mouse"

Como usar a Delegacia Virtual?

O sistema está disponível para a população pela internet, exigindo a autenticação do usuário no portal de serviços do Governo Federal. O redirecionamento é realizado de forma automática para facilitar a experiência no uso do sistema.A solução integra-se ao módulo Procedimentos Policiais Eletrônicos (PPE) do Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública (Sinesp), que visa a simplificar a gestão e o registro de procedimentos policiais em todo o Brasil.

O módulo permite o cadastro e tramitação do BO, desde seu registro até seu fechamento ou encaminhamento como procedimento policial, em formato de Inquérito Policial (IP), Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), Auto de Investigação de Ato Infracional (AIAI), ou mesmo registro de Auto de Prisão em Flagrante (APF).

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: