Mercado fechado
  • BOVESPA

    101.259,75
    -658,25 (-0,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.707,72
    +55,52 (+0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    39,78
    -0,07 (-0,18%)
     
  • OURO

    1.903,40
    -1,80 (-0,09%)
     
  • BTC-USD

    13.023,26
    +5,74 (+0,04%)
     
  • CMC Crypto 200

    260,05
    -1,40 (-0,54%)
     
  • S&P500

    3.465,39
    +11,90 (+0,34%)
     
  • DOW JONES

    28.335,57
    -28,13 (-0,10%)
     
  • FTSE

    5.860,28
    +74,63 (+1,29%)
     
  • HANG SENG

    24.918,78
    +132,68 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    23.516,59
    +42,29 (+0,18%)
     
  • NASDAQ

    11.669,25
    +19,50 (+0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6630
    +0,0529 (+0,80%)
     

"Delatora" de laranjal do PSL se candidata em Minas e apoia Bolsonaro

Colaboradores Yahoo Notícias
·1 minuto de leitura
Adriana Borges, "delatora" do laranjal do PSL, se candidata a vereadora em Belo Horizonte pelo Patriota
Adriana Borges, "delatora" do laranjal do PSL, se candidata a vereadora em Belo Horizonte pelo Patriota

Adriana Borges, conhecida como “delatora” do esquema de candidaturas laranjas do PSL em Minas Gerais, se lançou candidata a vereadora em Belo Horizonte, pelo Patriota, para tentar transformar a repercussão do “laranjal” em votos.

Em 2018, Adriana obteve quase 12 mil votos e não se elegeu deputada federal pelo PSL. No ano passado, ela afirmou ao Ministério Público que, durante o último período eleitoral, recebeu uma proposta “indecente” de assessores de Marcelo Álvaro Antônio, então presidente estadual do PSL e atual ministro do Turismo.

Segundo Adriana, o partido a repassaria R$ 100 mil do fundo eleitoral se, em troca, ela devolvesse R$ 90 mil em cheques em branco. Ela afirmou aos promotores ter recusado a proposta foi recusada, e a legenda repassou apenas R$ 4.000 à sua campanha.

Em sua nova tentativa nas urnas, Adriana Borges se classifica como alguém que “enfrentou sua primeira grande batalha contra a corrupção”. No site da campanha, se apresenta como “conservadora, patriota e cristã” e “defensora da família, dos bons costumes, do livre mercado”.

Embora critique a permanência de Marcelo Álvaro Antônio no governo, a “delatora” defende o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e chama o ex-ministro Sergio Moro de “traidor”, de acordo com informações do jornal Folha de S.Paulo.