Mercado abrirá em 7 h 54 min

Defensor da livre expressão, Elon Musk demite funcionários após críticas

Esta não é a primeira vez que funcionários criticam Musk (Gotham/Getty Images)
Esta não é a primeira vez que funcionários criticam Musk. (Gotham/Getty Images)
  • SpaceX demite funcionários após críticas a Elon Musk;

  • Bilionário se autodenomina defensor da liberdade de expressão, mas não gostou do que leu;

  • Estima-se que ao menos cinco pessoas tenham sido identificadas.

O bilionário Elon Musk demitiu funcionários da SpaceX, sua empresa foguetes, que estavam envolvidos na circulação de uma carta aberta que o criticava por seu comportamento imprevisível. O caso teria acontecido nesta quinta-feira (17).

“O comportamento de Elon na esfera pública é uma fonte frequente de distração e constrangimento para nós, principalmente nas últimas semanas”, afirma o texto, divulgado pelo The Verge. “Como nosso CEO e porta-voz mais proeminente, Elon é visto como o rosto da SpaceX – cada Tweet que Elon envia é uma declaração pública da empresa. É fundamental deixar claro para nossas equipes e nosso potencial grupo de talentos que sua mensagem não reflete nosso trabalho, nossa missão ou nossos valores”.

Em resposta, Gwynne Shotwell, presidente e diretora de operações da SpaceX, disse que a empresa investigou e “demitiu vários funcionários envolvidos” com a carta. A afirmação foi feita em e-mail obtido pelo The New York Times.

“A carta, as solicitações e o processo geral deixaram os funcionários desconfortáveis, intimidados e intimidados e/ou irritados, porque a carta os pressionou a assinar algo que não refletia seus pontos de vista”, escreveu Shotwell. “Temos muito trabalho crítico a realizar e não há necessidade desse tipo de ativismo exagerado”.

Apesar de se autodenominar ‘defensor da liberdade de expressão’, Musk não gostou nada do que leu. Não está claro quantos funcionários foram demitidos, mas estima-se que “pelo menos cinco”, segundo a Reuters.

Esta não é a primeira vez que trabalhadores criticam Musk. Em dezembro, uma carta escrita pelo ex-engenheiro da SpaceX, Ashley Kosak, aponta que a empresa fazia muito pouco para policiar e coibir o assédio sexual no ambiente de trabalho. Em outro caso, o próprio bilionário foi acusado de assediar uma comissária de bordo da SpaceX,expondo seu pênis ereto para ela, esfregando sua perna sem seu consentimento e lhe oferecido comprar um cavalo em troca de uma massagem erótica.