Mercado fechado
  • BOVESPA

    119.710,03
    -3.253,98 (-2,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.748,41
    -906,88 (-1,83%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,80
    +0,52 (+0,80%)
     
  • OURO

    1.814,70
    -21,40 (-1,17%)
     
  • BTC-USD

    54.573,03
    -2.198,82 (-3,87%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.476,08
    -87,75 (-5,61%)
     
  • S&P500

    4.063,04
    -89,06 (-2,14%)
     
  • DOW JONES

    33.587,66
    -681,50 (-1,99%)
     
  • FTSE

    7.004,63
    +56,64 (+0,82%)
     
  • HANG SENG

    28.231,04
    +217,23 (+0,78%)
     
  • NIKKEI

    28.147,51
    -461,08 (-1,61%)
     
  • NASDAQ

    12.984,00
    -362,00 (-2,71%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4156
    +0,0702 (+1,11%)
     

Defensa y Justicia vence Palmeiras nos pênaltis e conquista sua primeira Recopa

·3 minuto de leitura
Jogadores do Defensa y Justicia comemoram a conquista da Recopa Sul-Americana ao vencer o Palmeiras nos pênaltis no segundo jogo da final disputado em 14 de abril de 2021 em Brasília

O modesto Defensa y Justicia venceu o Palmeiras nos pênaltis por 4 a 3 e conquistou a Recopa Sul-Americana, a primeira em sua história, em uma partida tensa disputada nesta quarta-feira em Brasília, onde venceu por 2 a 1 e reverteu a desvantagem apos perder pelo mesmo placar na Argentina.

Sem complexo de inferioridade e com uma proposta ofensiva no estádio Mané Garrincha, a equipe de Florencio Varela, que disputa a primeira divisão argentina há menos de uma década, soube superar as adversidades e conquistou seu segundo título internacional, depois da Copa Sul-Americana-2020.

Os 'halcones' (falcões) de Sebastián Beccacece começaram perdendo após um gol de Raphael Veiga (23) de pênalti, mas viraram com gols do artilheiro Braian Romero (31) e uma bomba de longe de Marcelo Benítez nos acréscimos (90+3), o que forçou uma prorrogação.

O goleiro Ezequiel Unsain defendeu um chute do paraguaio Gustavo Gómez aos 9 minutos do tempo extra, logo após uma confusão que terminou com a expulsão de Romero (97). O gol poderia ter dado o título aos brasileiros.

O Palmeiras, campeão da Libertadores de 2020, também jogou com dez, já que o uruguaio Matías Viña havia recebido o cartão vermelho aos 68 minutos.

Na definição nas penalidades, Frías, Merentiel, Isnaldo e Fernández garantiram a vitória, após as cobranças perdidas por Luiz Adriano e Weverton.

O Verdão, que voltou a apostar no contra-ataque, perdeu a segunda final em menos de uma semana, depois de ser derrotado também nos pênaltis pelo Flamengo, no domingo, na Supercopa do Brasil.

O título do Defensa equilibra o número de conquistas da Recopa Sul-Americana entre brasileiros e argentinos. Dos 29 torneios disputados, os clubes brasileiros venceram 11 e os da Argentina 10.

- Palmeiras sai na frente -

De um lado o técnico Abel Ferreira, que assumiu o comando do Palmeiras há seis meses, apostava nos contra-ataques, aproveitando a velocidade dos seus atacantes, enquanto o Defensa precisava partir para cima para reverter sua situação desfavorável.

Mas havia o risco de entregar a iniciativa de jogo a um adversário ferido e com jogadores como Romero e Benítez.

Se lançando ao ataque, os 'halcones' se esqueceram de proteger bem a defesa.

Acabaram mordendo a isca lançada pelo Palmeiras e Rony, em uma jogada rápida, entrou na área e foi derrubado por Fernando Meza, em uma das muitas faltas que sofreu ao longo da partida.

Depois de consultar o VAR, o uruguaio Leodán González marcou pênalti. Veiga cobrou forte no canto e marcou seu terceiro gol da temporada, após a dobradinha que fez na final da Supercopa do Brasil.

- Fantasma da Supercopa -

Embora abalados, os argentinos não desanimaram e acabaram sendo recompensados. Romero aproveitou um passe perfeito de Pizzini e aumentou as esperanças.

Os visitantes continuaram apostando na abordagem inicial, mesmo jogando diante de um adversário forte e em plena capital brasileira, que recebeu o jogo devido às restrições em São Paulo provocadas pela pandemia.

O risco de sofrer um gol que empataria o confronto despertou temores de que o pesadelo de domingo diante do Flamengo se repetisse nesta quarta.

Mas o fantasma da Supercopa só começou a se materializar com a expulsão de Viña por chutar Frías no chão.

Antes disso, tanto Weverton quanto Unsain mantinham tudo igual, mas depois do cartão vermelho, os ataques à meta brasileira se multiplicaram.

Até que Benítez soltou a bomba a cerca de 25 metros do gol do time paulista e superou o goleiro brasileiro, levando o jogo para a prorrogação.

O clima esquentou no tempo extra e houve confusão entre as equipes, que culminou com Romero expulso, após discutir com o juiz.

Nos pênaltis, a boa pontaria dos argentinos garantiu o título e mais uma taça para a galeria do Defensa y Justicia em 2021, que já começa a sonhar com mais.

raa/aam