Mercado fechará em 6 h 43 min
  • BOVESPA

    120.079,87
    +17,88 (+0,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.867,62
    +338,65 (+0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,63
    +0,28 (+0,46%)
     
  • OURO

    1.783,70
    -9,40 (-0,52%)
     
  • BTC-USD

    54.908,78
    +143,95 (+0,26%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.279,92
    +16,96 (+1,34%)
     
  • S&P500

    4.173,42
    +38,48 (+0,93%)
     
  • DOW JONES

    34.137,31
    +316,01 (+0,93%)
     
  • FTSE

    6.913,47
    +18,18 (+0,26%)
     
  • HANG SENG

    28.755,34
    +133,42 (+0,47%)
     
  • NIKKEI

    29.188,17
    +679,62 (+2,38%)
     
  • NASDAQ

    13.903,00
    -16,25 (-0,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6158
    -0,0862 (-1,29%)
     

Ótima estreia - Defensa y Justicia 1 x 2 Palmeiras

·2 minuto de leitura
Gustavo Scarpa celebra o gol da vitória palmeirense FOTO Marcelo Endelli/Getty Images

O Defensa y Justicia atacava e jogava melhor em casa, com Beccacece retomando o clube que em 2017 ele deixou em patamar nunca antes alcançado desde a fundação na década de 1930. Levado ao título da Sula em 2020 com Crespo, novo treinador do São Paulo. Vivendo o maior momento da história do time argentino que só não abriu o placar com menos de 5 minutos por Weverton ser o paredão de sempre.

Diferentemente do Palmeiras que sentiu a natural falta de ritmo pela ainda mais natural folga ao elenco que esticou todas as cordas em busca de todas as taças. Marcando pouco e criando ainda menos na frente, dando espaços na frente da área, e errando muitos passes com o meio-campo mais pesado escolhido por Abel, o jogo era mais duro do que a encomenda. Até que Viña começou o que Willian encontrou em Rony, e o atacante de seis gols e oito assistências em 12 partidas continentais pelo Palmeiras fez um belo gol.

O D y J sentiu, o Palmeiras equilibrou o jogo, criou até algumas chances no recomeço do jogo. Mas o desgaste físico pela longa inatividade cobrou preço no belo gol de empate de Romero, quando Bou armou o lance às costas de Felipe Melo, e descobriu o artilheiro platino nas costas de Luan. Um a um.

Então Abel fez muito bem o que demorou: mexeu no time. Com Danilo e Patrick de Paula, talvez poupados também pela semana cheia de grandes compromissos, deu mais gás e fluidez ao Verdão. E com Scarpa no lugar do discreto Veiga, Gustavo bateu uma bela falta que também contou com uma falha do goleiro, dando em mais uma vitória melhor do que a atuação palmeirense.

Garantinda também pela anulação no final da partida de um gol bem discutível por impedimento.

Mas era o que era possível e necessário na real estreia na temporada em mais um confronto em que o Palmeiras mais ganhou muito bem fora de casa do que jogou bem.

O que para o momento (e para a história) está mais do que ótimo.