Mercado fechado
  • BOVESPA

    105.069,69
    +603,45 (+0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.597,29
    -330,09 (-0,65%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    -0,28 (-0,42%)
     
  • OURO

    1.783,90
    +21,20 (+1,20%)
     
  • BTC-USD

    49.133,77
    +226,78 (+0,46%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.367,14
    -74,62 (-5,18%)
     
  • S&P500

    4.538,43
    -38,67 (-0,84%)
     
  • DOW JONES

    34.580,08
    -59,71 (-0,17%)
     
  • FTSE

    7.122,32
    -6,89 (-0,10%)
     
  • HANG SENG

    23.766,69
    -22,24 (-0,09%)
     
  • NIKKEI

    28.029,57
    +276,20 (+1,00%)
     
  • NASDAQ

    15.687,50
    -301,00 (-1,88%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3953
    +0,0151 (+0,24%)
     

Deezer descumpre promessa e aumenta preços em até 30%

·3 min de leitura

Em abril, o Deezer provocou o Spotify por aumentar o valor dos planos e prometeu que não mexeria nos seus próprios valores cobrados no meio da pandemia, como forma de ajudar as pessoas a superar esse momento de dificuldade. Apenas seis meses depois, a ideia parece ter ficado no passado, já que o serviço de streaming de áudio aumentou o valor do plano Premium de R$ 16,90 para R$ 24,90 por mês e do plano Família de R$ 26,90 para R$ 34,90 — e isso sem fazer muito alarde.

A modificação nos valores pegou muita gente de surpresa, já que foi feita sem divulgação prévia ou comunicação global. No Reino Unido, onde a empresa já se posicionou oficialmente, o preço foi de 9,99 libras por mês para 11,99 libras, enquanto o plano Família saltou de 14,99 libras para 17,99 libras.

Embora haja um padrão de melhoria da pandemia em muitos países, a Europa passa por um momento de agravamento da situação, especialmente no Reino Unido. Além disso, a empresa havia garantido em abril ue um aumento de preços seria anunciado com pelo menos três meses de antecedência para não pegar ninguém de surpresa.

O modo HiFi será adicionado ao plano Premium no Reino Unido, mas não no Brasil (Imagem: Divulgação/Deezer)
O modo HiFi será adicionado ao plano Premium no Reino Unido, mas não no Brasil (Imagem: Divulgação/Deezer)

Lá fora, o streaming de música francês justificou o ato ao colocar a culpa nos concorrentes, Amazon e Apple, que oferecerem músicas em HD como parte dos seus planos de assinatura padrão. O Deezer também deve entregar sons de alta qualidade em planos mais básicos, porém com esse reajuste no preço final, porque haveria um custo maior para a empresa.

“Tomamos a decisão de fazer do HiFi nosso novo padrão de som e de ajustar nossos preços no Reino Unido”, disse o CEO da Deezer, Jeronimo Folgueira, nomeado na mesma época em que a promessa de preço congelado havia sido feita. “Queremos oferecer aos amantes da música a melhor experiência disponível, bem como contribuir para o crescimento contínuo da música em todo o mundo.”

A empresa alegou que o reajuste levará mais dinheiro para músicos e compositores, um dos setores mais afetados pela pandemia e parte de uma indústria que "não aumentou seus preços em mais de 10 anos". Esse aumento chega em um momento de frustração de clientes com o Deezer, já que muitos dispositivos estão incapacitados de rodar o serviço por causa de um problema com certificados de segurança expirados — o que continua sem solução após semanas.

Guerra da qualidade nos streamings de áudio

A mudança do Deezer ocorre na mesma semana em que a Amazon Music anunciou o acesso liberado ao spatial audio, recurso semelhante ao oferecido pela Apple Music para os assinantes. Tudo começou com a Tidal, a primeira a investir nos áudios sem perda de qualidade como um diferencial para o cliente, seguida pela Maçã e seus fones de ouvido superavançados.

O segmento de streaming musical então começou uma batalha para ver quem oferece a melhor qualidade de som pelo menor valor, com os vários serviços tentando superar uns aos outros. Atualmente, apenas o Spotify não entrega uma qualidade de som superior como os concorrentes, pois tem um enfoque de negócios diferente.

E no Brasil?

O Canaltech entrou em contato com a assessoria do Deezer no país para entender melhor a mudança de preços e o impacto nos serviços, mas ainda não obteve resposta — assim que houver um posicionamento oficial, o texto será atualizado.

Por aqui, o aumento foi bastante considerável, afetou todos os planos e chega a cerca de 30% de aumento. Segundo o site oficial, os valores agora são os seguintes:

  • O plano Premium era R$ 16,90 e passou para R$ 19,90;

  • O plano Família saltou de R$ 26,90 para R$ 34,90;

  • O plano HiFi não será anexado ao premium e passará de R$ 26,90 para R$ 34,90.

Resta saber se o usuário vai aceitar essa mudança repentina numa boa ou migrar para os concorrentes em busca de diferenciais e preços menores.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos