Mercado fechado
  • BOVESPA

    107.105,10
    -629,91 (-0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.809,66
    -210,39 (-0,40%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,79
    +1,29 (+1,56%)
     
  • OURO

    1.793,90
    +12,00 (+0,67%)
     
  • BTC-USD

    60.533,70
    -2.662,38 (-4,21%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.443,34
    -59,70 (-3,97%)
     
  • S&P500

    4.542,99
    -6,79 (-0,15%)
     
  • DOW JONES

    35.667,76
    +64,68 (+0,18%)
     
  • FTSE

    7.204,55
    +14,25 (+0,20%)
     
  • HANG SENG

    26.126,93
    +109,40 (+0,42%)
     
  • NIKKEI

    28.804,85
    +96,27 (+0,34%)
     
  • NASDAQ

    15.336,25
    -142,50 (-0,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5648
    -0,0162 (-0,25%)
     

Dedo do meio de Queiroga foi absurdo e não há mais confiança no ministro, dizem secretários

·1 minuto de leitura
****ARQUIVO***BRASILIA, DF,  29.07.2021: O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
****ARQUIVO***BRASILIA, DF, 29.07.2021: O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Os secretários estaduais de Saúde têm visto com indignação as atitudes mais recentes de Marcelo Queiroga e afirmam não ter mais confiança no ministro à frente da pasta.

Nos últimos dias, o titular da Saúde emendou uma série de episódios de repercussão negativa. Na última semana, após pressão de Jair Bolsonaro e seus apoiadores mais radicais, publicou nota técnica que suspendeu orientação sobre vacinar adolescentes de 12 a 17 anos contra a Covid-19.

A medida recebeu críticas de especialistas, sociedades médicas e governadores, alguns dos quais decidiram ignorar Queiroga e continuar a imunizar adolescentes.

Na segunda (20), mostrou o dedo do meio a manifestantes em Nova York, onde compõe comitiva de Bolsonaro para acompanhar a Assembleia-Geral da ONU. O presidente é o único entre os líderes mundiais presentes no evento que não se vacinou contra a Covid-19

Nesta terça (21), horas após Bolsonaro fazer um discurso que incluiu defesa do chamado "tratamento precoce", ineficaz contra o coronavírus, Queiroga anunciou que está com Covid-19.

Para secretários ouvidos pelo Painel, a sucessão de episódios mostrou que Queiroga não tem autoridade para comandar o ministério, já que prefere ignorar fundamentos científicos para aderir aos comandos de Bolsonaro.

Além disso, mostrou descontrole diante do protesto em Nova York, o que foi visto pelos secretários como sintoma de que não consegue lidar com a pressão do cargo.

Como mostrou o Datafolha, o presidente da República segue com sua reprovação em tendência de alta. Ela chegou a 53%, pior índice de seu mandato.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos