Mercado fechará em 4 h 4 min
  • BOVESPA

    119.484,65
    -79,79 (-0,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.830,68
    +430,88 (+0,89%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,12
    -0,51 (-0,78%)
     
  • OURO

    1.814,90
    +30,60 (+1,71%)
     
  • BTC-USD

    56.950,84
    -462,16 (-0,80%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.474,71
    +3,30 (+0,22%)
     
  • S&P500

    4.180,94
    +13,35 (+0,32%)
     
  • DOW JONES

    34.400,43
    +170,09 (+0,50%)
     
  • FTSE

    7.076,17
    +36,87 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.637,46
    +219,46 (+0,77%)
     
  • NIKKEI

    29.331,37
    +518,77 (+1,80%)
     
  • NASDAQ

    13.551,75
    +60,75 (+0,45%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3604
    -0,0665 (-1,03%)
     

Decisão final sobre veto de Trump no Facebook é adiada

·2 minuto de leitura
(Arquivo) O ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

A decisão final sobre a anulação do veto do Facebook ao ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump vai demorar um pouco mais que o previsto, anunciou uma junta de supervisão independente nesta sexta-feira (16).

Os críticos da plataforma de redes sociais e inclusive os fortes defensores do discurso político sem restrições pediram à junta de supervisão do Facebook para apoiar a decisão de expulsar Trump da plataforma depois do ataque de 6 de janeiro no Capitólio dos Estados Unidos.

"O compromisso da junta de revisar cuidadosamente todos os comentários ampliou o prazo do caso", disse um porta-voz à AFP.

"A junta anunciará sua decisão sobre o caso relacionado à suspensão indefinida do ex-presidente americano Trump do Facebook e Instagram nas próximas semanas".

A junta de supervisão do Facebook esperava inicialmente ter sua decisão ainda neste mês.

Descrevendo Trump como um "perigo claro e presente", acadêmicos e defensores dos direitos civis pediram ao Facebook para proibir permanentemente o ex-presidente dos EUA na plataforma.

Os conservadores no Capitólio e outros lugares alegam que as medidas do Facebook e Twitter de excluir Trump das plataformas representam preconceitos políticos e inibem a liberdade de expressão.

Em fevereiro, foi concluído um período de comentários públicos ampliado com mais de 9.000 propostas sobre o caso, segundo a junta.

A própria rede social pediu ao órgão independente que revisasse a expulsão de Trump da comunidade online. A junta de supervisão tem a última palavra sobre o que é eliminado e o que é permitido manter na rede social.

O acesso de Trump às plataformas de redes sociais que ele usava como megafone durante sua presidência foi cortado em grande medida desde que uma multidão violenta de seus apoiadores invadiu o Capitólio em Washington.

gc/jh/mps/mls/aa