Mercado fechado

Decisão da Justiça impede bloqueio de ativos da Americanas

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Americanas entrou nesta sexta-feira (13) com pedido de tutela de urgência cautelar junto à 4ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro. Com isso, a empresa consegue impedir que seus ativos sejam bloqueados a pedido de credores, por exemplo.

O juiz Paulo Assed concedeu a medida, à qual a reportagem teve acesso, que tem o objetivo de suspender qualquer possibilidade de bloqueio, sequestro ou penhora de bens da varejista, que também fica desobrigada de pagar suas dívidas até que um eventual pedido de recuperação judicial seja feito à Justiça.

A Americanas tem agora 30 dias para confirmar se vai entrar com um pedido de recuperação judicial.

A informação sobre o pedido à Justiça foi publicada pelo colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo.

A companhia lida com o escândalo contável de R$ 20 bilhões, anunciado pelo ex-presidente da empresa, Sergio Rial, na quarta (11).

No pedido de tutela, a empresa afirma que a descoberta do rombo contábil de R$ 20 bilhões pode acarretar "no vencimento antecipado e imediato de dívidas em montante aproximado de R$ 40 bilhões".