Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.380,49
    -948,51 (-0,80%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.683,55
    -126,65 (-0,28%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,23
    -0,04 (-0,08%)
     
  • OURO

    1.852,90
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    32.787,05
    +309,07 (+0,95%)
     
  • CMC Crypto 200

    669,94
    +59,95 (+9,83%)
     
  • S&P500

    3.841,47
    -11,60 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    30.996,98
    -179,02 (-0,57%)
     
  • FTSE

    6.695,07
    -20,35 (-0,30%)
     
  • HANG SENG

    29.692,57
    +244,72 (+0,83%)
     
  • NIKKEI

    28.748,71
    +117,26 (+0,41%)
     
  • NASDAQ

    13.442,75
    +81,25 (+0,61%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6547
    +0,0027 (+0,04%)
     

Debate sobre poder de emergência do Fed segue apesar de acordo

Christopher Condon e Laura Davison
·3 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Um acordo alcançado sobre restrições ao Federal Reserve no pacote de alívio da pandemia não resolve as diferenças em como republicanos e democratas veem a autoridade de empréstimos de emergência do banco central dos Estados Unidos. As divergências abrem caminho para possíveis confrontos sobre como o Fed responderá a crises futuras.

O senador Pat Toomey, republicano da Pensilvânia, insistiu em incluir uma cláusula no plano de estímulo de US$ 900 bilhões que proibiria o Fed de reiniciar programas de apoio a títulos corporativos, pequenas e médias empresas e municípios, que devem expirar em 31 de dezembro.

Os democratas resistiram, mas chegaram a um acordo: os congressistas eliminaram termos da proposta de Toomey que também proibia programas “semelhantes” de serem lançados sem a aprovação do Congresso.

“Os democratas argumentaram que isso era muito amplo e poderia atingir linhas que não pretendíamos atingir”, disse Toomey no domingo em teleconferência com repórteres.

Mas Toomey também disse que o texto do acordo proibiria programas “clones” sem nova aprovação do Congresso. A intenção de cancelar os programas “não poderia ser subvertida simplesmente criando um clone e chamando-o de algo diferente”, disse a repórteres.

Toomey deixou claro que esses programas sempre ficaram fora da autoridade de emergência do Fed e não teriam sido possíveis sem a Lei Cares, aprovada em março, que forneceu fundos para apoiar os programas.

“Esses programas foram desvios completos das funções tradicionais, históricas e normais do Fed 13 (3)”, disse, referindo-se à seção da Lei do Federal Reserve que autoriza empréstimos de emergência.

Os democratas, no entanto, interpretaram o texto do acordo de maneira diferente. Um assessor democrata no Congresso que viu o dispositivo disse que a nova redação não impõe limites significativos à capacidade do Fed de criar linhas de crédito para governos estaduais e municipais e pequenas empresas. O Fed poderia criar programas com pequenas diferenças, disse o assessor, que pediu para não ser identificado.

Crises futuras

A aparente diferença nas interpretações pode criar um possível choque se os mercados financeiros mergulharem novamente no caos, e o Fed sentir que é necessário agir rapidamente com linhas semelhantes.

O ex-presidente do Fed, Ben Bernanke, fez um raro alerta no sábado, ao pedir que a capacidade do banco central de responder a crises futuras seja mantida “totalmente intacta”.

Toomey disse no domingo que consultou o presidente do Fed, Jerome Powell, ao elaborar o dispositivo original e que Powell “não se opôs”.

“Conversamos ao longo do processo, e não houve nenhum esforço da parte do presidente Powell para bloquear ou mudar isso”, disse Toomey.

A porta-voz do Fed, Michelle Smith, não quis comentar.

Toomey disse que o acordo alcançou quatro objetivos principais para os republicanos: retirar dinheiro não utilizado da Lei Cares das contas do Fed e do Tesouro, encerrar as linhas da Lei Cares, proibir a reabertura desses programas e impedir a criação de clones sem a aprovação expressa do Congresso.

Toomey, assim como na semana passada, negou que o dispositivo tenha sido criado para limitar o poder do Fed ou prejudicar a capacidade do próximo governo Biden de enfrentar os desafios econômicos.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2020 Bloomberg L.P.