Mercado abrirá em 47 mins
  • BOVESPA

    121.113,93
    +412,93 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.726,98
    +212,88 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    62,93
    -0,20 (-0,32%)
     
  • OURO

    1.781,80
    +1,60 (+0,09%)
     
  • BTC-USD

    57.029,52
    +2.285,52 (+4,17%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.294,49
    -97,22 (-6,99%)
     
  • S&P500

    4.185,47
    +15,05 (+0,36%)
     
  • DOW JONES

    34.200,67
    +164,67 (+0,48%)
     
  • FTSE

    7.018,92
    -0,61 (-0,01%)
     
  • HANG SENG

    29.106,15
    +136,44 (+0,47%)
     
  • NIKKEI

    29.685,37
    +2,00 (+0,01%)
     
  • NASDAQ

    13.977,75
    -51,75 (-0,37%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6981
    +0,0120 (+0,18%)
     

Debate sobre necessidade de vacinar crianças intriga cientistas

Reg Gale
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Crianças têm sido menos afetadas que adultos na pandemia do coronavírus, fato que torna o desenvolvimento de vacinas para os mais jovens particularmente atípico para a ciência médica.

Historicamente, vacinas pediátricas têm se concentrado em doenças infantis fatais, mas a pandemia trouxe um novo fator. Embora o coronavírus tenha sido mortal entre adultos mais velhos, os casos são mais leves entre os mais jovens, com número de mortes relativamente mínimo.

Isso gerou um debate entre cientistas sobre a necessidade de que crianças sejam imunizadas. Alguns dizem que imunizar crianças é menos urgente, visto que os casos de Covid nesse grupo tendem a ser muito menos graves. No mundo todo, a distribuição de vacinas tem priorizado idosos e outras pessoas em risco por questões de saúde ou ocupação.

“As vacinas para poliomielite, difteria e meningite foram todas voltadas para eliminar as doenças mais perigosas em crianças”, disse Michael Hefferon, professor assistente do departamento de pediatria da Queen’s University em Ontário. “Agora temos quase o oposto. É uma doença de adultos e, quanto mais você envelhece, mais sinistro se torna. Portanto, as crianças são menos relevantes.”

Quase 3,2 milhões de crianças testaram positivo para Covid-19 em 49 estados dos EUA que relatam casos por idade, de acordo com relatório de 4 de março da Academia Americana de Pediatria. Mas enquanto mais de meio milhão de mortes relacionadas à Covid foram registradas nos Estados Unidos, cerca de 250 crianças morreram nos 43 estados que rastreiam a mortalidade por idade.

O presidente dos EUA, Joe Biden, pressiona pelo retorno de todas as classes do jardim de infância até a 8ª série, e os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA dizem que mesmo professores não precisam ser vacinados se certas regras forem seguidas. Um estudo publicado na revista Pediatrics neste mês revelou que apenas 0,4% das 234.132 pessoas testadas nas escolas da cidade de Nova York de outubro a dezembro deram positivo.

A questão não deveria ser apenas: você pode imunizar crianças com segurança e eficácia, mas também “por que você está fazendo isso”, disse Hefferon, segundo o qual alguns reguladores podem questionar a necessidade do uso emergencial. “Se você presumir que a vovó e o vovô vão ser vacinados em massa de acordo com os planos atuais, por que vacinar crianças? É uma espécie de dilema moral a ser considerado.”

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.