Mercado abrirá em 38 mins
  • BOVESPA

    120.700,67
    +405,99 (+0,34%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.514,10
    +184,26 (+0,38%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,55
    +0,09 (+0,14%)
     
  • OURO

    1.781,60
    +14,80 (+0,84%)
     
  • BTC-USD

    60.864,13
    -1.401,61 (-2,25%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.354,15
    -26,80 (-1,94%)
     
  • S&P500

    4.170,42
    +45,76 (+1,11%)
     
  • DOW JONES

    34.035,99
    +305,10 (+0,90%)
     
  • FTSE

    7.019,46
    +35,96 (+0,51%)
     
  • HANG SENG

    28.969,71
    +176,57 (+0,61%)
     
  • NIKKEI

    29.683,37
    +40,68 (+0,14%)
     
  • NASDAQ

    14.050,00
    +36,00 (+0,26%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7425
    +0,0214 (+0,32%)
     

Debate de grupo de trabalho sobre emissão de moeda digital está em fase avançada, diz Campos Neto

Gabriel Ponte
·1 minuto de leitura
Presidente do BC, Roberto Campos Neto

Por Gabriel Ponte

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou nesta quarta-feira que o grupo de trabalho criado formalmente para discutir impactos de uma eventual emissão de moeda digital pela autoridade monetária está em fase avançada nas etapas de discussão do tema.

Em agosto de 2020, o BC constituiu grupo para analisar a CBDC --"central bank digital currency" ou moeda digital do banco central.

"Nós estamos em processo formal de desenvolver a CBDC no Brasil, estamos avançados nas etapas. Eu acho que o projeto envolve algumas questões que não foram respondidas em todas as partes", disse Campos Neto em participação gravada para painel virtual promovido pelo Banco de Compensações Internacionais (BIS, na sigla internacional).

Em sua fala, o presidente do BC também elencou dúvidas acerca do processo, dentre as quais o debate em torno da emissão da moeda digital pela autoridade monetária ou a possibilidade de que qualquer instituição financeira possa emiti-la.

Na terça-feira, em participação em congresso organizado pela Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), Campos Neto já havia comentado sobre o tema, dizendo entender que a criação de moedas digitais tem "várias consequências" para a parte da política monetária.

"E é importante que, nesse processo de confecção da moeda digital, os países tenham moedas digitais que sejam homogêneas, ou seja, que sejam interoperáveis", afirmou na ocasião, destacando, sob essas condições, avanço na área de pagamento, bem como em operações financeiras para além das fronteiras, conhecidas pela expressão em inglês "cross border".