Mercado abrirá em 5 h 2 min
  • BOVESPA

    119.371,48
    -690,52 (-0,58%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.092,31
    +224,69 (+0,46%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,93
    +0,50 (+0,81%)
     
  • OURO

    1.784,10
    +2,10 (+0,12%)
     
  • BTC-USD

    47.963,52
    -6.512,79 (-11,96%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.088,97
    -154,08 (-12,40%)
     
  • S&P500

    4.134,98
    -38,44 (-0,92%)
     
  • DOW JONES

    33.815,90
    -321,41 (-0,94%)
     
  • FTSE

    6.919,03
    -19,21 (-0,28%)
     
  • HANG SENG

    29.039,00
    +283,66 (+0,99%)
     
  • NIKKEI

    29.020,63
    -167,54 (-0,57%)
     
  • NASDAQ

    13.772,00
    +21,75 (+0,16%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5540
    +0,0124 (+0,19%)
     

Danos à Amazônia vêm aumentando a intensidade das mudanças climáticas

Natalie Rosa
·2 minuto de leitura

Os danos sofridos pela Floresta Amazônica estão agravando a intensidade das mudanças climáticas, de acordo com um novo estudo. A pesquisa, realizada por mais de 30 cientistas, sugere que o problema é maior do que se imaginava, mostrando que incêndios florestais, secas e desmatamentos estão liberando ainda mais os gases nocivos à atmosfera, também ficando armazenados no solo e nas plantas.

Isso significa que a floresta vem cumprindo o papel oposto ao qual deveria ser responsável, aquecendo o planeta em vez de resfriá-lo. Sendo assim, a Amazônia não é mais uma aliada na missão de amenizar as emissões de gás carbônico provocadas pelos humanos, como a queima de combustíveis fósseis.

"A destruição da floresta está interferindo na absorção de carbono, e isso é um problema", contou Kristofer Covey, da universidade Skidmore College, em Nova York, e um dos autores do estudo. "Quando você começa a observar outros fatores juntamente ao CO2, fica extremamente difícil não ver como a Amazônia está piorando o aquecimento global", completa. Os pesquisadores acreditam, ainda, que até 2035 a Floresta Amazônica pode se tornar uma fonte de liberação de carbono.

<em>(Imagem: Reprodução/ESA, CC BY-SA 3.0 IGO)</em>
(Imagem: Reprodução/ESA, CC BY-SA 3.0 IGO)

A preocupação, infelizmente, não é só com o CO2, como também com outros componentes responsáveis pelas alterações climáticas, como o N2O (óxido nitroso) e CH4 (metano). Esses gases não resistem tanto tempo na atmosfera quanto o gás carbônico, mas são ainda mais potentes. O N2O, por exemplo, acaba prendendo 300 vezes mais calor por molécula que o CO2.

Os cientistas revelam ainda que as secas duradouras reduzem a capacidade da floresta de absorver o CO2 e também aumentam a chance de surgirem incêndios. O fogo transforma as árvores em partículas de fuligem que absorvem a luz do Sol e, então, aumentam a temperatura da atmosférica, processo que é piorado a cada vez mais devido ao desmatamento feito pelas indústrias, o que aumenta a necessidade de proteger a Amazônia o quanto antes.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: