Mercado fechará em 5 h 28 min
  • BOVESPA

    108.822,39
    -1.523,43 (-1,38%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.032,43
    -344,46 (-0,67%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,37
    +0,08 (+0,07%)
     
  • OURO

    1.862,60
    +14,80 (+0,80%)
     
  • BTC-USD

    28.921,46
    -1.270,84 (-4,21%)
     
  • CMC Crypto 200

    643,88
    -11,95 (-1,82%)
     
  • S&P500

    3.888,86
    -84,89 (-2,14%)
     
  • DOW JONES

    31.456,31
    -423,93 (-1,33%)
     
  • FTSE

    7.482,22
    -31,22 (-0,42%)
     
  • HANG SENG

    20.112,10
    -357,96 (-1,75%)
     
  • NIKKEI

    26.748,14
    -253,38 (-0,94%)
     
  • NASDAQ

    11.610,50
    -424,75 (-3,53%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1575
    +0,0098 (+0,19%)
     

Daly, do Fed, diz que argumento para alta de 0,50 p.p. no juro em maio está "completo"

·2 min de leitura
Fachada do Federal Reserve, em Washington

(Reuters) - A presidente do Federal Reserve de San Francisco, Mary Daly, disse nesta quarta-feira acreditar que o argumento a favor de um aumento de 0,50 ponto percentual na taxa de juros no próximo mês está "completo" e "sólido, com a trajetória de alta dos juros pelo banco central dos Estados Unidos neste ano sendo amplamente vista como apropriada em face da elevada inflação.

Com o Fed encaminhado para subir a taxa de juros para 2,5% neste ano e anunciar o início das reduções do balanço no encontro de política monetária de 3 e 4 de maio, ela disse que sua "perspectiva modal" é de um pouso suave", com a desaceleração da economia dos EUA abaixo de sua taxa de crescimento de tendência, mas não para território de recessão, afirmou a repórteres após discurso na Universidade de Nevada, em Las Vegas.

Se houver uma recessão, disse ela, será curta e suave, uma questão de alguns trimestres com crescimento "apenas bem pouco abaixo de zero" e não o suficiente para inviabilizar a expansão de longo prazo.

Ao mesmo tempo, afirmou, empresas e famílias acham "reconfortante" que o banco central esteja aumentando os juros. Fazer isso, disse Daly, não apenas ajudará a reduzir a inflação muito alta, mas também servirá para desacelerar o que ela disse estar se tornando um mercado de trabalho apertado demais.

Os preços ao consumidor saltaram 8,5% em março sobre um ano antes, ritmo mais rápido desde o fim de 1981, e a taxa de desemprego caiu para 3,6%, com vagas de trabalho em aberto em patamares quase recordes.

É "prematuro", afirmou, julgar até que ponto a taxa básica de juros precisará subir. À medida que o Fed elevar os juros, Daly avaliará o impacto econômico de uma política monetária mais rígida, da guerra da Rússia na Ucrânia e do estado das cadeias de abastecimento.

(Por Ann Saphir)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos