Mercado abrirá em 5 h 57 min
  • BOVESPA

    117.560,83
    +363,01 (+0,31%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.326,68
    +480,88 (+1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,22
    -0,23 (-0,26%)
     
  • OURO

    1.717,40
    -3,40 (-0,20%)
     
  • BTC-USD

    19.866,75
    -327,29 (-1,62%)
     
  • CMC Crypto 200

    452,49
    -10,64 (-2,30%)
     
  • S&P500

    3.744,52
    -38,76 (-1,02%)
     
  • DOW JONES

    29.926,94
    -346,96 (-1,15%)
     
  • FTSE

    6.997,27
    0,00 (0,00%)
     
  • HANG SENG

    17.771,62
    -240,53 (-1,34%)
     
  • NIKKEI

    27.116,11
    -195,19 (-0,71%)
     
  • NASDAQ

    11.477,75
    -64,00 (-0,55%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,0860
    -0,0275 (-0,54%)
     

Daly está aberta a alta de juros de 0,75 p.p. pelo Fed em setembro

Presidente do Federal Reserve de San Francisco, Mary Daly

Por Ann Saphir

(Reuters) - A presidente do Federal Reserve de São Francisco, Mary Daly, disse na quinta-feira que, embora um aumento de 0,5 ponto percentual da taxa de juros em setembro "faça sentido", ela está aberta à possibilidade de uma alta maior para combater a inflação.

"Ainda acho que 0,50 ponto é o caso, mas estou aberta a 0,75 se os dados evoluírem de forma diferente", disse Daly à Bloomberg TV, observando que haverá mais dados sobre emprego e inflação antes da próxima reunião do Fed, nos dias 20 e 21 de setembro.

O tom "hawkish" de Daly veio um dia depois de relatório do Departamento do Trabalho mostrar que os preços ao consumidor ficaram estáveis em julho em relação ao mês anterior e depois de os preços ao produtor terem caído inesperadamente em julho.

A indicação de alívio levou operadores de juros futuros a apostarem no aumento 0,50 ponto que Daly vê como mais provável na próxima reunião do Fed.

"Não queremos que as condições financeiras afrouxem", disse Daly, observando que ela olha não apenas para o mercado de ações, mas também para os custos de empréstimos para empresas e consumidores, bem como para as taxas de hipotecas, para avaliar as condições financeiras.