Dados de emprego nos EUA levam ganhos a bolsas da Europa

As bolsas europeias fecharam em alta nesta sexta-feira, apagando as perdas registradas mais cedo, após os últimos dados de criação de empregos nos Estados Unidos alimentarem expectativas de que o Federal Reserve, o banco central norte-americano, manterá suas ações de estímulo. O índice pan-europeu Stoxx 600 subiu 0,35%, a 287,83 pontos, garantindo um ganho semanal de 3,25%.

Os EUA geraram 155 mil empregos em dezembro, segundo relatório divulgado no final da manhã pelo Departamento do Trabalho. O número veio ligeiramente abaixo da expectativa de analistas consultados pela Dow Jones, que previam um acréscimo de 160 mil vagas. Já a taxa de desemprego foi de 7,8% no mês passado, levemente acima da estimativa de que ficaria em 7,7%.

Os últimos números do mercado de trabalho norte-americano, que normalmente teriam um impacto negativo, acabaram dando suporte às ações europeias, em meio à interpretação de que o Fed talvez seja obrigado a manter sua política de relaxamento quantitativo por mais tempo.

Até então, os mercados na Europa vinham operando em baixa, influenciados pela divulgação da ata do Fed, que ontem mostrou que alguns membros de seu Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) defendem a interrupção imediata dos esforços de estímulos do BC dos EUA. Para outros integrantes do Fomc, o esquema atual deveria permanecer em vigor até o final do ano.

Também agradou os investidores em bolsas europeias o último dado de atividade do setor de serviços dos EUA, que mostrou uma expansão maior do que se esperava em dezembro.

Em Londres, o índice FTSE 100 fechou na máxima do dia e em seu maior nível em 23 meses, avançando 0,70%, a 6.089,84 pontos, após os indicadores dos EUA. Na semana, a alta acumulada da bolsa inglesa foi de 2,78%. A BP ampliou o ganho da última sessão e avançou mais 2,7% hoje, ainda impulsionada pelo acordo que a Transocean fechou com o Departamento de Justiça dos EUA para encerrar todas as ações civis e criminais relacionadas ao acidente com a plataforma Deepwater Horizon no Golfo do México, em 2010.

Em Paris, o índice CAC-40 subiu 0,24%, a 3.730,02 pontos, encerrando a semana com um avanço de 3,03%. O destaque de hoje, no entanto, foi a Peugeot, que não pertence ao índice e saltou 9,3%. O índice DAX, de Frankfurt, teve desempenho semelhante ao do mercado francês e teve ganho de 0,26%, a 7.776.37 pontos, com alta de 2,15% ao longo da semana. Destacaram-se na bolsa alemã a Daimler (+0,4%), que anunciou outro recorde de vendas de sua unidade Mercedes-Benz em 2012, e a Deutsche Telekom (+1,4%).

Na Bolsa de Madri, o índice IBEX-35 terminou o dia com ganho de 0,39%, aos 8.435,80 pontos, ampliando a alta da semana a 3,75%. Todos os bancos listados no índice espanhol avançaram, com Banco Popular e Santander subindo 4% e 0,4%, respectivamente. Em Milão, o índice FTSE Mib apresentou alta de 0,30%, encerrando o pregão aos 16.959,78 pontos e assegurando uma alta semanal de 4,22%. No mercado português, o índice PSI 20, que reúne as ações mais negociadas em Lisboa, teve nesta sexta-feira um ganho modesto de 0,19% e fechou aos 5.878,78 pontos, mas o avanço na semana foi significativo, de 3,87%.

Entre bolsas europeias menores, a de Atenas subiu 1,3%, com o índice ASE encerrando o dia aos 964,19 pontos. Na terça-feira (08), a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, vai se reunir com o primeiro-ministro grego, Antonis Samaras, em Berlim. As informações são da Dow Jones.

Carregando...