Mercado abrirá em 7 h 16 min
  • BOVESPA

    108.721,58
    +198,11 (+0,18%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.049,05
    +174,15 (+0,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    74,89
    +0,78 (+1,05%)
     
  • OURO

    1.885,10
    +5,60 (+0,30%)
     
  • BTC-USD

    22.887,59
    -40,66 (-0,18%)
     
  • CMC Crypto 200

    525,73
    +0,60 (+0,11%)
     
  • S&P500

    4.111,08
    -25,40 (-0,61%)
     
  • DOW JONES

    33.891,02
    -34,99 (-0,10%)
     
  • FTSE

    7.836,71
    -65,09 (-0,82%)
     
  • HANG SENG

    21.399,43
    +177,27 (+0,84%)
     
  • NIKKEI

    27.682,87
    -10,78 (-0,04%)
     
  • NASDAQ

    12.540,75
    +25,25 (+0,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5221
    +0,0028 (+0,05%)
     

Dados de brasileiros são vendidos por R$ 33 em mercado virtual

É possível reduzir as chances de ter os dados vendidos ao tomar cuidado com a navegação em sites
É possível reduzir as chances de ter os dados vendidos ao tomar cuidado com a navegação em sites (Getty Image)
  • Levantamento mostra que o mercado de informações ilegais já movimenta R$ 88 milhões

  • Os dados dos brasileiros estão entre os oito mais baratos do mundo

  • As informações são obtidas em vazamentos e em criação de logins com senhas fracas

Quanto custa os dados pessoais de alguém? Atualmente, o dos brasileiros variam entre R$ 33,56 e R$ 51,27 no mercado virtual ilegal. O comércio já movimenta R$ 88 milhões, de acordo com uma pesquisa da empresa de cibersegurança NordVPN.

O e-mail é o dado mais caro nas negociações. Número de de identidade, carteira de habilitação, números de telefone, contas online, logins de contas bancárias e contas de criptomoedas são outras informações que são alvo de vazamento.

A pesquisa diz que o documento de identidade dos brasileiros são os oitavos mais baratos do mundo, com média de R$ 47,78 por identidade. Já na República Theca, os dados chegam a custar mais de R$ 5,8 mil, atingindo o valor mais alto do mundo.

O insumo para essas transações vem, em grande parte, de vazamentos de instituições e empresas e de dados obtidos de usuários que usam senhas fracas. A NordVPN diz que ao tomar cuidado com a navegação em sites e criar senhas diferentes e alfanuméricas para cada acesso, o usuário diminui as chances de ser atingido.

"O amplo escopo dos dados oferecidos nesses mercados criminosos mostra a importância de cuidar de sua segurança e privacidade online. A segurança cibernética está em nossas mãos. Quanto mais conhecimento dos riscos, mais é possível se proteger com as ferramentas e informações certas, maximizando a segurança de todos", alerta Adrianus Warmenhoven, especialista em segurança cibernética da empresa.