Mercado fechará em 3 h 6 min
  • BOVESPA

    122.047,64
    +166,82 (+0,14%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.304,74
    +85,48 (+0,17%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,22
    +0,85 (+1,30%)
     
  • OURO

    1.867,50
    +29,40 (+1,60%)
     
  • BTC-USD

    42.717,21
    -4.580,41 (-9,68%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.183,23
    -14,69 (-1,23%)
     
  • S&P500

    4.154,81
    -19,04 (-0,46%)
     
  • DOW JONES

    34.283,90
    -98,23 (-0,29%)
     
  • FTSE

    7.032,85
    -10,76 (-0,15%)
     
  • HANG SENG

    28.194,09
    +166,52 (+0,59%)
     
  • NIKKEI

    27.824,83
    -259,67 (-0,92%)
     
  • NASDAQ

    13.264,00
    -123,00 (-0,92%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3964
    -0,0076 (-0,12%)
     

Dado de serviços em fevereiro reforça crescimento no 1º tri apesar de baque em março, diz Economia

Isabel Versiani
·1 minuto de leitura
Edifício do Ministério da Economia, em Brasília (DF)

Por Isabel Versiani

(Reuters) - O desempenho positivo do setor de serviços em fevereiro consolidou cenário de crescimento da atividade no primeiro trimestre do ano, avaliou a Secretaria de Política Econômica nesta quinta-feira, ressaltando, porém, que os dados de março serão afetados pelo agravamento da crise da pandemia no país.

"O recrudescimento da pandemia, a grande quantidade de brasileiros infectados pela Covid-19 e o aumento das regras legais de distanciamento afetarão negativamente o setor no mês de março, com efeitos para o PIB do 1T21. No entanto, a desaceleração será bem menor do que a ocorrida no início da pandemia", disse a SPE em nota.

Para a secretaria, a retomada consistente dos serviços se dará com a vacinação em massa --que abriria espaço para uma recuperação dos serviços prestados às famílias, que seguem bem abaixo do patamar de fevereiro de 2020-- e a continuidade da agenda de reformas e consolidação fiscal.

No mês de fevereiro, o volume total de serviços registrou avanço de 3,7%, bem acima da expectativa em pesquisa da Reuters de alta de 1,5%, o que levou o setor a superar o nível pré-pandemia pela primeira vez.

"Os bons resultados da agropecuária, indústria e serviços, até fevereiro deste ano, indicam que a economia brasileira continuou crescendo, contrariando as previsões de que o fim do Auxílio Emergencial geraria uma retração da atividade no 1T21", disse a SPE.