Mercado abrirá em 3 h 59 min

“Dá pena vê-lo deixar, de forma tão lamentável, a posição de liderança que exerceu”, diz ACM Neto sobre Maia

Ana Paula Ramos
·2 minuto de leitura
ACM Neto e Rodrigo Maia
ACM Neto e Rodrigo Maia

A briga entre Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Antonio Carlos Magalhães Neto (DEM-BA) esquentou ainda mais nesta segunda-feira (8), após entrevista do ex-presidente da Câmara ao jornal Valor Econômico, em que criticou tanto a legenda, que acusou de ter ido para a “extrema-direita”, quanto seu presidente, ACM Neto. "Entregou a nossa cabeça numa bandeja para o Palácio do Planalto”, afirmou o parlamentar em entrevista.

O ex-prefeito de Salvador rebateu as declarações de Maia e afirmou que a leitura de Rodrigo Maia da eleição à presidência da Câmara “não corresponde aos fatos”.

Leia também:

“Nada mais distante da realidade do que a narrativa que ele vem tentando estabelecer. Não houve traição da Executiva do Democratas, nem adesão ao governo Bolsonaro”, disse, por meio de nota.

ACM Neto responsabilizou Rodrigo Maia pela derrota de Baleia Rossi (MDB-SP) na disputa para o comando da Casa e o acusou de querer “se perpetuar no cargo de presidente da Câmara”.

“No empenho em transferir as responsabilidades pelo seu fracasso, Rodrigo Maia tenta negar que insistiu, até o último momento, na possibilidade de conseguir o aval do Supremo Tribunal Federal (STF) para se perpetuar no cargo de presidente da Câmara”, afirmou.

“Todos sabem que Rodrigo Maia tinha um único candidato à presidência da Câmara, que era ele mesmo. Quando o STF derrubou a possibilidade de reeleição, o deputado perdeu força para conduzir sua sucessão e chegou ao final do processo contando com o apoio de apenas um terço da bancada do seu próprio partido”, declarou.

O presidente do DEM também classificou a atitude do deputado de “descontrole”, “falta de grandeza” e “deslealdade”.

“Rodrigo, que tinha a fama de grande articulador, fracassou nessa empreitada. Essa é a realidade.

Ao invés de escutar quem sempre esteve ao seu lado, e fazer com serenidade e honestidade o exercício da autocrítica, o deputado Rodrigo Maia se encastelou no poder conquistado e, agora, demonstra surpreendente descontrole. A falta de grandeza e a deslealdade causam profundo estranhamento”, avaliou.

“Torço muito para que o deputado Rodrigo Maia reencontre o equilíbrio e a serenidade. Rodrigo Maia foi um presidente da Câmara importante para o Brasil e dá pena vê-lo deixar, de forma tão lamentável, a posição de liderança que exerceu”, disse.

Rodrigo Maia confirmou que irá pedir sua desfiliação do DEM ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) "sem pressa ou briga", porém, não adiantou para qual legenda deve migrar. “Estarei num partido que será de oposição ao presidente Bolsonaro”.