Mercado abrirá em 7 h 4 min
  • BOVESPA

    96.582,16
    +1.213,40 (+1,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    36.801,37
    -592,34 (-1,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    36,28
    +0,11 (+0,30%)
     
  • OURO

    1.875,90
    +7,90 (+0,42%)
     
  • BTC-USD

    13.420,14
    -67,09 (-0,50%)
     
  • CMC Crypto 200

    263,07
    +20,39 (+8,40%)
     
  • S&P500

    3.310,11
    +39,08 (+1,19%)
     
  • DOW JONES

    26.659,11
    +139,16 (+0,52%)
     
  • FTSE

    5.581,75
    -1,05 (-0,02%)
     
  • HANG SENG

    24.580,22
    -6,38 (-0,03%)
     
  • NIKKEI

    23.142,49
    -189,45 (-0,81%)
     
  • NASDAQ

    11.198,25
    -144,50 (-1,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7500
    +0,0044 (+0,07%)
     

Dólar desacelera alta após atuação do BC

Marcelo Osakabe
·1 minuto de leitura

Para analistas, confiança de investidores ainda é frágil e semana tem tendência de alta na moeda Após abrir em queda firme esta manhã, refletindo uma retomada do apetite por risco nos mercados globais, o dólar comercial inverteu e passou a subir no fim da primeira metade do pregão brasileiro, comportamento também visto contra outras divisas emergentes. No Brasil, o movimento ocorre depois do resultado da reunião do presidente Jair Bolsonaro com líderes aliados sobre o Renda Cidadã e a próxima etapa da reforma tributária. Diante da valorização, o Banco Central realizou leilão no mercado à vista, em que aceitou 11 propostas que totalizaram US$ 877 milhões. Por volta de 15h50, a moeda americana avançava 1,13%, a R$ 5,6197, após máxima de R$ 5,6753 e mínima de R$ 5,5140. A menos de cinco semanas da eleição presidencial nos Estados Unidos, o mercado também digere a reportagem veiculada pelo New York Times mostrando que o presidente Donald Trump não teria pago imposto de renda em dez dos últimos 15 anos. Para analistas do UBS, no entanto, o efeito da notícia sobre os mercados é mínimo. "A não ser que pese sobre a decisão dos Estados-pêndulo", avaliam. "Na dinâmica polarizada das eleições americanas, apenas os indecisos podem ser influenciados por estas informações. Seu conteúdo, portanto, precisa ser avaliado em conjunto com o debate presidencial, na quinta-feira.” Pixabay