Mercado fechará em 1 h 36 min
  • BOVESPA

    108.406,59
    +1.738,94 (+1,63%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.734,74
    -497,46 (-0,93%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,19
    +1,76 (+2,06%)
     
  • OURO

    1.842,50
    +30,10 (+1,66%)
     
  • BTC-USD

    42.218,29
    +507,29 (+1,22%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.001,74
    +6,99 (+0,70%)
     
  • S&P500

    4.594,64
    +17,53 (+0,38%)
     
  • DOW JONES

    35.457,79
    +89,32 (+0,25%)
     
  • FTSE

    7.589,66
    +26,11 (+0,35%)
     
  • HANG SENG

    24.127,85
    +15,07 (+0,06%)
     
  • NIKKEI

    27.467,23
    -790,02 (-2,80%)
     
  • NASDAQ

    15.276,00
    +70,00 (+0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1936
    -0,1135 (-1,80%)
     

Dólar vai a R$ 5,74 e fecha no maior valor em nove meses

·2 min de leitura

Em um dia tenso nos mercados externos, o dólar aproximou-se de R$ 5,75 e fechou no maior nível desde março. A bolsa caiu mais de 2%, influenciada por preocupações com o avanço da variante Ômicron do novo coronavírus e por dificuldades na aprovação de um pacote de investimentos em infraestrutura nos Estados Unidos.

O dólar comercial encerrou esta segunda-feira (20) vendido a R$ 5,743, com alta de R$ 0,058 (+1,02%). A cotação chegou a operar próxima da estabilidade durante a manhã, mas intensificou a alta durante a tarde, em meio ao acirramento do pessimismo no mercado externo.

A cotação está no maior nível desde 30 de março, quando tinha fechado em R$ 5,762. A divisa acumula alta de 1,9% em dezembro. Em 2021, a valorização chega a 10,68%.

O dia foi igualmente tenso no mercado de ações. O índice Ibovespa, da B3, fechou o dia aos 104.871 pontos, com recuo de 2,17%. Apesar da queda nesta segunda-feira, o indicador acumula alta de 3,05% em dezembro. No ano, as perdas chegam a 11,76%.

O mercado global teve um dia de nervosismo, em meio a receios de que o crescimento de casos de covid-19 provocado pela variante Ômicron obrigue os países a adotar novas medidas de restrição e de distanciamento social. Nos Estados Unidos, o anúncio de que um senador democrata pretende votar contra o pacote de investimentos em infraestrutura proposto pelo governo de Joe Biden contribuiu para ampliar o pessimismo internacional.

No Brasil, as negociações em torno do Orçamento de 2022 pesaram. O anúncio do valor do salário mínimo para o próximo ano, em R$ 1.210, e as negociações para incorporar R$ 2,8 bilhões para reajuste a forças federais de segurança estão sendo acompanhadas com tensão pelos investidores. Há o receito de que o Congresso ceda a pressões para o aumento de gastos públicos.

*Com informações da Reuters

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos