Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.221,19 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,64 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,66
    -1,87 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    47.382,81
    +1.016,57 (+2,19%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,64 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,96 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,26 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7577
    +0,0188 (+0,28%)
     

Dólar ultrapassa R$ 5,40 em volta de feriado de carnaval

Wellton Máximo – Repórter da Agência Brasil*
·1 minuto de leitura

Na volta do feriado prolongado de carnaval, o dólar subiu e voltou a superar R$ 5,40. A bolsa de valores fechou acima de 120 mil pontos e atingiu o melhor nível em quase um mês, impulsionada por commodities (bens primários com cotação internacional).

O dólar comercial encerrou a quarta-feira de cinzas vendido a R$ 5,415, com alta de R$ 0,04 (+0,76%). A divisa operou em alta durante toda a sessão e fechou no maior valor desde 5 de fevereiro (R$ 5,449).

O mercado de ações teve um dia de ganhos. O índice Ibovespa, da B3, fechou o dia aos 120.356 pontos, com alta de 0,78%. O indicador operou em baixa durante a manhã, mas reagiu a partir das 15h, até fechar no melhor nível desde 19 de janeiro. Ações de empresas ligadas à commodities puxaram a alta, num dia de poucos negócios.

No Brasil, o mercado continua atento às negociações para a recriação do auxílio emergencial. Na última sexta-feira, o ministro da Economia, Paulo Guedes, e os presidentes da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, e do Senado, Rodrigo Pacheco, anunciaram avanços nas discussões. Em troca da extensão do benefício, seriam votadas duas propostas de emenda à Constituição que restituiriam a cláusula de calamidade pública e teriam medidas de cortes de gastos obrigatórios.

A cotação do dólar foi influenciada ainda pela divulgação dos índices de inflação nos Estados Unidos e no Reino Unido, que vieram maiores que o esperado em janeiro. Inflação mais alta em países desenvolvidos aumenta a rentabilidade de títulos públicos de economias avançadas, o que provoca a fuga de recursos de mercados emergentes. Isso pressiona o câmbio em países como o Brasil.

* Com informações da Reuters