Mercado abrirá em 3 h 44 min
  • BOVESPA

    112.611,65
    +1.322,47 (+1,19%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.466,02
    -571,03 (-1,12%)
     
  • PETROLEO CRU

    87,47
    +0,86 (+0,99%)
     
  • OURO

    1.793,40
    +0,30 (+0,02%)
     
  • BTC-USD

    36.800,10
    +629,38 (+1,74%)
     
  • CMC Crypto 200

    832,87
    +13,36 (+1,63%)
     
  • S&P500

    4.326,51
    -23,42 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    34.160,78
    -7,31 (-0,02%)
     
  • FTSE

    7.537,20
    -17,11 (-0,23%)
     
  • HANG SENG

    23.557,23
    -249,77 (-1,05%)
     
  • NIKKEI

    26.717,34
    +547,04 (+2,09%)
     
  • NASDAQ

    14.112,75
    +126,00 (+0,90%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,0458
    +0,0218 (+0,36%)
     

Dólar perde terreno ante real em linha com exterior; PEC dos Precatórios e PIB dominam cena local

·2 min de leitura
Nota de um dólar

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) -O dólar caía frente ao real nesta quinta-feira, abandonando a estabilidade vista nos primeiros negócios da sessão, acompanhando a fraqueza internacional da moeda norte-americana conforme investidores de todo o mundo aguardavam mais informações sobre a variante Ômicron do coronavírus.

Na cena doméstica, a votação da PEC dos Precatórios no Senado e dados do Produto Interno Bruto (PIB) do terceiro trimestre dominavam as atenções.

Às 10h10 (horário de Brasília), o dólar à vista tinha queda de 0,46%, a 5,6450 reais na venda, enquanto o dólar futuro recuava 0,97%, a 5,6755 reais.

Outras moedas de países emergentes, como peso mexicano, peso chileno e rand sul-africano, também apresentavam ganhos frente ao dólar nesta quinta-feira, enquanto o índice da divisa norte-americana em relação a uma cesta de pares fortes caía 0,20%.

Segundo Guilherme Esquelbek, analista da Correparti Corretora, investidores estão "tentando avaliar a real gravidade da nova cepa" do coronavírus, uma vez que, até o momento, seus pacientes têm "apresentado sintomas leves". Ainda não há mortes confirmadas pela variante recém-descoberta da Covid-19.

O Brasil já tem três casos confirmados da cepa Ômicron, enquanto nos Estados Unidos o primeiro foi identificado na quarta-feira.

À medida que aguardavam mais informações sobre os riscos da nova variante, investidores domésticos acompanhavam o noticiário em torno da PEC dos Precatórios, cuja votação no plenário do Senado foi adiada para esta quinta-feira.

A proposta altera o prazo de correção do teto de gastos pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), o que abriria espaço fiscal para o pagamento de auxílio à população de 400 reais por família em 2022, ano eleitoral. Entre as alternativas disponíveis para o financiamento desses benefícios sociais, a PEC passou a ser vista por vários participantes do mercado como a menos nociva à saúde das contas públicas do Brasil.

Enquanto isso, investidores digeriam dados divulgados nesta manhã que mostraram contração de 0,1% do PIB do Brasil no terceiro trimestre em relação aos três meses anteriores, o que levou a economia a uma recessão técnica. A expectativa em pesquisa da Reuters era de estabilidade no período de julho a setembro.

Alguns especialistas disseram que a leitura do PIB próxima das projeções de mercado pode ser fator de alívio, no curto prazo, para os ativos brasileiros. "À medida que essa pressão da nova cepa se dissipa, devem predominar notícias mais positivas do que negativas, já que (o PIB) veio em linha com o consenso e não surpreendeu demais para baixo", comentou Pedro Secchin, sócio da Golden Investimentos.

Na véspera, o dólar spot subiu 0,61%, a 5,6711 reais, pico desde 1º de novembro (5,6712 reais).

(Edição de José de Castro)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos