Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.316,16
    -1.861,39 (-1,63%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.774,91
    -389,10 (-0,71%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,38
    -1,63 (-2,01%)
     
  • OURO

    1.943,90
    -2,80 (-0,14%)
     
  • BTC-USD

    23.006,09
    -179,43 (-0,77%)
     
  • CMC Crypto 200

    526,66
    +9,65 (+1,87%)
     
  • S&P500

    4.070,56
    +10,13 (+0,25%)
     
  • DOW JONES

    33.978,08
    +28,67 (+0,08%)
     
  • FTSE

    7.765,15
    +4,04 (+0,05%)
     
  • HANG SENG

    22.688,90
    +122,12 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    27.382,56
    +19,81 (+0,07%)
     
  • NASDAQ

    12.221,00
    +114,25 (+0,94%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5462
    +0,0265 (+0,48%)
     

Dólar tem leve queda e Bolsa sobe com investidores atentos a clima político

***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 06.12.2017 - Cédulas de dólar. (Foto: Gabriel Cabral/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 06.12.2017 - Cédulas de dólar. (Foto: Gabriel Cabral/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O dólar passou a registrar queda no fim da manhã desta quarta-feira (11), enquanto a Bolsa inicia o dia em alta, com investidores ainda monitorando o clima político em Brasília, com ameaças de novas invasões e bloqueios por parte de bolsonaristas.

Às 12h22 (horário de Brasília), o dólar à vista recuava 0,09%, a R$ 5,1970 na venda. O Ibovespa operava em alta de 0,19%, a 111.028 pontos.

Os juros seguiam a tendência do dólar, com quedas moderadas. Às 10h50, os contratos para 2024 caíam de 13,59% no fechamento desta terça-feira (10) para 13,57%. Para 2025, a taxa passava de 12,69% para 12,63%. E para 2027, de 12,50% para 12,40%.

O ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), determinou nesta quarta que as autoridades públicas impeçam quaisquer tentativas de ocupação ou bloqueio de vias públicas, rodovias, espaços e prédios públicos por manifestantes golpistas apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, prorrogou por mais dez dias o uso da Força Nacional da região da Esplanada dos Ministérios e da Praça dos Três Poderes, palco de atos de vandalismo no último domingo (8).

Em sua análise matinal, a Guide Investimentos ressalta que os atos convocados por militantes bolsonaristas estão marcados para o final da tarde, mas o noticiário no decorrer do dia pode levar a uma cautela maior dos investidores.

Os analistas da Levante Corp. Research apontam uma tensão sobre o alcance das investigações dos atos golpistas, especialmente com a possibilidade de envolvimento do ex-presidente Jair Bolsonaro.

"Caso Bolsonaro seja responsabilizado pelos atos, é bastante provável que ele se torne inelegível. Nesse caso, é de se esperar uma realização de lucros por parte dos investidores, com queda das ações", projeta a Levante.

Antonio Sanches, analista da Rico Investimentos, diz que a percepção dos investidores é de que não haverá ruptura institucional, o que sustenta o "impacto reduzido" do cenário político na Bolsa brasileira e no dólar.

As ações da Petrobras ajudam a manter o Ibovespa em alta, seguindo a cotação do petróleo. Às 12h25, o barril do tipo Brent subia 1,39%, a US$ 81,21. A ação preferencial da Petrobras avançava 1,04%, e a ordinária tinha alta de 0,95%.

Outra emprese do setor de petróleo e gás se destaca no pregão desta quarta. A ação ordinária da 3R Petroleum sobe mais de 7%, depois que a empresa anunciou um crescimento de 92% na produção de dezembro, frente a novembro.

No exterior, os principais índices de ações nos Estados Unidos abriram em alta. O mercado espera uma desaceleração da inflação ao consumidor no país, que será divulgada nesta quinta (12). O otimismo em relação à retomada econômica na China também impulsiona as bolsas internacionais.

O índice Dow Jones tem alta próxima de 0,20%, enquanto o S&P 500 sobe 0,50%. O Nasdaq 100 tem avanço próximo de 0,80%.