Mercado fechado

Dólar tem instabilidade em meio ao mal-estar sobre Renda Cidadã

Victor Rezende
·2 minutos de leitura

Investidores seguem atentos aos movimentos do governo sobre o programa social Após uma abertura em queda, o dólar comercial chegou a mudar de rumo, mas voltou a operar no campo negativo no fim desta manhã de terça-feira. Os agentes acompanham os próximos movimentos do governo federal na proposta sobre o Renda Cidadã. Por volta das 11h30, o dólar comercial cedia 0,43%, a R$ 5,6121. Na máxima, marcou R$ 5,6701; na mínima, ficou em R$ 5,6071. No exterior, a aversão ao risco volta a dar trégua às vésperas do primeiro debate presidencial nos Estados Unidos. “Ainda é muito cedo para saber se o escândalo sobre o pagamento de impostos que foi revelado sobre o presidente Donald Trump irá afetar as intenções de voto. As pesquisas após o debate serão monitoradas de perto, mas os índices de cada candidato mudaram pouco ao longo dos últimos meses, sugerindo que boa parte das decisões já foi tomada”, afirmam analistas do Brown Brothers Harriman. No ambiente brasileiro, permanece o mal-estar criado pela proposta do governo para o financiamento do Renda Cidadã em 2021, que não foi sanada pela reunião de representantes do mercado financeiro e o líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR), ontem. Além de defender a proposta, Barros argumentou que o governo não teria problemas na Justiça com utilização dos recursos destinados aos precatórios para outros fins, porque Estados já utilizavam o artifício. Para analistas do Citi, os fatos de ontem reiteram a previsão de que o teto será rompido em 2021, uma brecha de cerca de 1% do PIB. “É importante notar que não ficaríamos surpresos se o governo abandonasse a proposta após a repercussão negativa. Neste caso, o real e outros ativos locais poderiam registrar um rali de alívio forte, mas pontual. Qualquer melhora mais sustentável depende do que será colocado no lugar da atual proposta.” Marcello Casal Jr./Agência Brasil