Mercado fechará em 2 h 26 min
  • BOVESPA

    125.478,16
    +866,12 (+0,70%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.188,35
    +277,82 (+0,55%)
     
  • PETROLEO CRU

    72,44
    +0,79 (+1,10%)
     
  • OURO

    1.800,30
    +0,50 (+0,03%)
     
  • BTC-USD

    39.483,96
    +1.608,51 (+4,25%)
     
  • CMC Crypto 200

    926,53
    -3,40 (-0,37%)
     
  • S&P500

    4.393,11
    -8,35 (-0,19%)
     
  • DOW JONES

    34.923,58
    -134,94 (-0,38%)
     
  • FTSE

    7.016,63
    +20,55 (+0,29%)
     
  • HANG SENG

    25.473,88
    +387,45 (+1,54%)
     
  • NIKKEI

    27.581,66
    -388,56 (-1,39%)
     
  • NASDAQ

    14.961,00
    +13,25 (+0,09%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1103
    +0,0019 (+0,03%)
     

Dólar tem forte queda ante real com ajustes tributários e Powell no radar

·2 minuto de leitura
Cédulas de dólar norte-americano

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar era negociado em forte queda contra o real nesta quarta-feira, refletindo uma recepção positiva às alterações nas propostas de tributação do governo brasileiro, antes de um depoimento do chair do Federal Reserve, Jerome Powell, ao Congresso norte-americano.

Às 10:06, o dólar recuava 1,66%, a 5,0964 reais na venda, enquanto o dólar futuro tinha baixa de 1,32%, a 5,106 reais.

Segundo Paloma Brum, economista da Toro Investimentos, esse comportamento reflete, principalmente, a notícia da véspera de que o parecer da reforma do Imposto de Renda (IR) prevê redução na tributação das empresas.

"Estamos vendo avanços na reforma tributária, com ajustes positivos para a economia, apesar da taxação de dividendos", explicou ela. "Esses ajustes podem reduzir a carga do Imposto de Renda sobre pessoa jurídica."

Enquanto isso, no exterior, o índice da divisa norte-americana contra uma cesta de rivais cedia 0,4%. Peso mexicano, lira turca e rand sul-africano subiam nesta manhã.

Sob os holofotes dos operadores, Powell dará depoimento no Congresso, depois que dados da véspera --que mostraram um salto na inflação de junho-- alimentaram expectativas de um fim mais rápido do estímulo do Fed.

"O dilema do Fed é distinguir quanto (do salto da inflação) é transitório e não exige redução de estímulos e quanto é permanente, que precisa ser combatido com menos liquidez e aumento das taxas de juros", explicaram analistas da Genial Investimentos em nota matinal.

Em declarações preparadas para o depoimento desta quarta-feira, Powell disse que o mercado de trabalho dos Estado Unidos "ainda está longe" do progresso que o Federal Reserve deseja ver antes de reduzir seu apoio à economia, enquanto a alta inflação atual diminuirá "nos próximos meses".

A sinalização mais "dovish", ou tolerante com a alta dos preços, tende a fornecer apoio para moedas de países emergentes, devido à manutenção da liquidez e dos juros baixos nos Estados Unidos.

O dólar negociado no mercado interbancário fechou a terça-feira em alta de 0,17%, a 5,1824 reais na venda.

Neste pregão, o Banco Central fará leilão de swap tradicional para rolagem de até 15 mil contratos com vencimento em janeiro e maio de 2022.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos