Mercado abrirá em 4 h 8 min
  • BOVESPA

    100.763,60
    +2.091,34 (+2,12%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.294,83
    +553,33 (+1,16%)
     
  • PETROLEO CRU

    111,11
    +1,54 (+1,41%)
     
  • OURO

    1.829,90
    +5,10 (+0,28%)
     
  • BTC-USD

    20.996,11
    -404,04 (-1,89%)
     
  • CMC Crypto 200

    458,24
    -3,56 (-0,77%)
     
  • S&P500

    3.900,11
    -11,63 (-0,30%)
     
  • DOW JONES

    31.438,26
    -62,42 (-0,20%)
     
  • FTSE

    7.328,20
    +69,88 (+0,96%)
     
  • HANG SENG

    22.418,97
    +189,45 (+0,85%)
     
  • NIKKEI

    27.049,47
    +178,20 (+0,66%)
     
  • NASDAQ

    12.095,75
    +55,25 (+0,46%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5345
    -0,0096 (-0,17%)
     

Dólar sobre para R$ 4,91 e atinge maior valor em três semanas

Em um dia de nervosismo internacional, o dólar ultrapassou a barreira de R$ 4,90 e atingiu o maior valor em três semanas. A bolsa de valores caiu pela quinta vez seguida e está no menor nível em 20 dias.

O dólar comercial encerrou esta quinta-feira (9) vendido a R$ 4,916, com alta de R$ 0,026 (+0,52%). A moeda norte-americana alternou altas e baixas ao longo do dia, chegando a R$ 4,86 na mínima do dia por volta das 9h30. No entanto, com a deterioração do mercado externo, a cotação ganhou força perto do fim das negociações.

A moeda está no maior valor desde 19 de maio, quando tinha encerrado em R$ 4,917. A divisa acumula alta de 3,43% em junho. Em 2022, no entanto, o dólar cai 11,84%.

O dia também foi tenso no mercado de ações. O índice Ibovespa, da B3, fechou aos 107.094 pontos, com recuo de 1,18%. Influenciado pelas bolsas norte-americanas, que também tiveram forte queda, o Ibovespa operou em baixa durante toda a sessão. A bolsa brasileira está no menor nível desde 19 de maio, quando tinha fechado pouco acima de 107 mil pontos.

Pela manhã, a divulgação da inflação oficial em maio arrefeceu o mercado. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) caiu para 0,43% no mês passado. O dado veio inferior ao esperado pelos analistas financeiros.

Durante a tarde, no entanto, o cenário externo voltou a pesar. Amanhã (10), os Estados Unidos divulgarão o índice de inflação ao consumidor final, que está no maior nível em 40 anos. Caso a taxa venha acima do previsto, aumentarão as apostas de que o Federal Reserve (Fed, Banco Central norte-americano) endureça o reajuste dos juros na maior economia do planeta. Taxas mais altas em países avançados estimulam a fuga de capitais de países emergentes, como o Brasil.

*Com informações da Reuters

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos