Mercado abrirá em 7 h 41 min
  • BOVESPA

    107.557,67
    +698,80 (+0,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.918,28
    +312,72 (+0,62%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,85
    -0,20 (-0,28%)
     
  • OURO

    1.788,80
    +4,10 (+0,23%)
     
  • BTC-USD

    50.374,70
    -810,77 (-1,58%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.302,51
    -18,77 (-1,42%)
     
  • S&P500

    4.686,75
    +95,08 (+2,07%)
     
  • DOW JONES

    35.719,43
    +492,40 (+1,40%)
     
  • FTSE

    7.339,90
    +107,62 (+1,49%)
     
  • HANG SENG

    23.954,91
    -28,75 (-0,12%)
     
  • NIKKEI

    28.879,42
    +423,82 (+1,49%)
     
  • NASDAQ

    16.404,50
    +86,50 (+0,53%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3521
    +0,0124 (+0,20%)
     

Dólar sobe para R$ 5,45, mas tem segunda queda semanal seguida

·2 min de leitura

Num dia de ajustes após a forte queda de ontem (11), o dólar voltou a subir nesta sexta-feira (12). Mesmo assim, a moeda norte-americana recuou pela segunda semana consecutiva. A bolsa de valores não conseguiu segurar a alta da quinta-feira e caiu hoje, mas fechou a semana em alta.

O dólar comercial encerrou esta sexta-feira vendido a R$ 5,457, com alta de R$ 0,053 (+0,97%). Na máxima do dia, por volta das 15h30, a cotação chegou a R$ 5,46. Apesar da alta de hoje, a divisa acumula queda de 1,19% na semana e de 3,35% em novembro. Em 2021, a moeda norte-americana sobe 5,16%.

No mercado de ações, o índice Ibovespa, da B3, chegou a subiu nos primeiros minutos de negociação, mas inverteu o movimento e operou em baixa durante quase toda a sessão. O indicador terminou o dia aos 106.335 pontos, com recuo de 1,17%, influenciado pela divulgação de balanços de empresas varejistas que lucraram menos no terceiro trimestre. Mesmo com a queda de hoje, o Ibovespa subiu 1,44% na semana, emendando a segunda alta semanal seguida.

No mercado internacional, o dólar teve um dia misto, subindo em relação a algumas moedas e caindo em relação a outras, como o peso mexicano. As bolsas norte-americanas tiveram um desempenho oposto ao da bolsa brasileira, subindo nesta sexta-feira, mas encerrando a semana em baixa.

No Brasil, a cautela com o feriado de 15 de novembro prevaleceu. O mercado também foi influenciado pela queda no nível de serviços em setembro, o primeiro recuo em seis meses. Em meio à expectativa de que o Banco Central continue a aumentar os juros básicos da economia para conter a inflação, os investidores acreditam que os lucros das empresas, que vinham em alta por causa da recuperação econômica deste ano, caiam nos próximos trimestres.

* Com informações da Reuters

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos