Mercado fechará em 2 h 37 min
  • BOVESPA

    100.677,04
    +2.004,78 (+2,03%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.190,27
    +448,77 (+0,94%)
     
  • PETROLEO CRU

    110,08
    +2,46 (+2,29%)
     
  • OURO

    1.826,10
    -4,20 (-0,23%)
     
  • BTC-USD

    20.757,38
    -565,90 (-2,65%)
     
  • CMC Crypto 200

    452,07
    -9,72 (-2,11%)
     
  • S&P500

    3.911,03
    -0,71 (-0,02%)
     
  • DOW JONES

    31.515,48
    +14,80 (+0,05%)
     
  • FTSE

    7.258,32
    +49,51 (+0,69%)
     
  • HANG SENG

    22.229,52
    +510,46 (+2,35%)
     
  • NIKKEI

    26.871,27
    +379,30 (+1,43%)
     
  • NASDAQ

    12.088,00
    -52,50 (-0,43%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5273
    -0,0251 (-0,45%)
     

Dólar sobe para R$ 4,80 e fecha no maior valor em uma semana

Em um dia em que os receios internacionais voltaram a ficar mais fortes, o dólar subiu e fechou no maior valor em uma semana. Após operar em alta na maior parte do dia, a bolsa de valores perdeu força perto do fim das negociações e fechou estável, em meio à deterioração nos mercados externos.

O dólar comercial encerrou esta quarta-feira (1º) vendido a R$ 4,804, com alta de R$ 0,051 (+1,08%). A cotação iniciou o dia em baixa, mas reverteu a tendência ainda no fim da manhã. Na máxima do dia, por volta das 14h, a moeda norte-americana aproximou-se de R$ 4,82.

O mercado de ações também teve um dia volátil. O índice Ibovespa, da B3, fechou aos 111.360 pontos, com leve alta de 0,01%. O indicador começou em alta, impulsionado pela valorização do minério de ferro após o abrandamento do lockdown em regiões da China. No entanto, a baixa das bolsas norte-americanas pesou e influiu no mercado financeiro global.

O dólar teve um dia de alta em todo o planeta após declarações de um diretor regional do Federal Reserve (Fed), Banco Central norte-americano, que defendeu a continuidade do aumento dos juros nos Estados Unidos para combater a inflação, que está no maior nível em 40 anos. Os juros dos títulos do Tesouro norte-americano, considerados os papéis mais seguros do mundo, subiram, pressionando o marcado financeiro global.

*Com informações da Reuters

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos