Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.345,82
    +1.857,94 (+1,71%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.376,89
    -141,41 (-0,27%)
     
  • PETROLEO CRU

    109,62
    -0,67 (-0,61%)
     
  • OURO

    1.848,70
    +0,90 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    29.217,86
    -960,85 (-3,18%)
     
  • CMC Crypto 200

    654,83
    -20,05 (-2,97%)
     
  • S&P500

    3.973,75
    +72,39 (+1,86%)
     
  • DOW JONES

    31.880,24
    +618,34 (+1,98%)
     
  • FTSE

    7.513,44
    +123,46 (+1,67%)
     
  • HANG SENG

    20.459,92
    -10,14 (-0,05%)
     
  • NIKKEI

    26.931,42
    -70,10 (-0,26%)
     
  • NASDAQ

    11.881,25
    -154,00 (-1,28%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1269
    -0,0208 (-0,40%)
     

Dólar sobe mais de 1% ante real com onda global de aversão a risco

·1 min de leitura
Cédulas de 50 reais e de 10, 20 e 50 dólares

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar subia de maneira expressiva frente ao real nesta segunda-feira, com receios sobre possível ataque russo à Ucrânia afastando investidores de todo o mundo de ativos considerados arriscados.

A reunião de política monetária de dois dias do Federal Reserve desta semana, que se encerra na quarta-feira, também colaborava para o clima cauteloso, em meio a apostas de que o banco central norte-americano sinalizará pelo menos quatro altas nos juros ao longo deste ano de forma a domar a inflação elevada nos Estados Unidos.

Às 14:50 (de Brasília), o dólar à vista avançava 1,05%, a 5,5151 reais na venda, após chegar a 5,5260 reais no pico do pregão (+1,25%).

Na B3, às 14:50 (de Brasília), o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento subia 0,93%, a 5,5245 reais.

O dólar também avançava no exterior, ganhando 0,3% contra uma cesta de seis moedas fortes.

O dólar australiano, muitas vezes tido como uma "proxy" de demanda por risco, desvalorizava-se 1,10%, a 0,7104 dólar norte-americano, enquanto rand sul-africano e peso mexicano, pares emergentes do real, também caíam mais de 1% nesta tarde.

Evidenciando a ampla aversão a risco nos mercados globais, os principais índices de Wall Street despencavam nesta sessão, com o Nasdaq cedendo 4,5% por volta das 14h40 (de Brasília). Na Europa, o índice referencial de ações fechou em queda de 3,8%, pior desempenho diário desde junho de 2020. [.NPT] [.EUPT]

Importantes potências Ocidentais têm dado inúmeros sinais --como a retirada de famílias de diplomatas de Kiev-- de que estão se preparando para uma ação russa agressiva contra a Ucrânia, embora Moscou negue qualquer plano de invasão.

(Por Luana Maria Benedito)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos