Dólar sobe com informe positivo sobre emprego

O dólar subiu frente às principais moedas, em reação aos dados positivos do informe sobre o número de postos de trabalho criados nos EUA em outubro. Analistas disseram que outro fator importante para a alta do dólar foi a incerteza quanto ao resultado da eleição presidencial norte-americana, na próxima terça-feira.

"Há muito nevoeiro nos mercados diante da eleição, e os traders não estão certos sobre como se posicionar", disse o trader Michael LaVina, da Faros Trading. Na dúvida, os investidores preferem a cautela e buscam o "porto seguro" do dólar.

Os investidores estão particularmente preocupados sobre como o resultado da eleição afetará a perspectiva do chamado "abismo fiscal", situação a ser criada em 1º de janeiro de 2013 com o fim da vigência de cortes temporários de impostos para os mais ricos, adotados durante o governo de George W. Bush, simultâneo a reduções automáticas de gastos públicos da ordem de US$ 600 bilhões - caso o Congresso não chegue, antes disso, a um acordo sobre a dívida e os déficits federais.

Para o estrategista Andrew Wilkinson, da Miller, Tabak & Co., é cedo demais para embutir nos preços qualquer expectativa de recuo na política agressiva de relaxamento monetário do Federal Reserve. "O Fed implementou uma política muito agressiva por que está lidando com o que pode ver na estrada adiante, que é uma desaceleração potencial da economia se cairmos no 'abismo fiscal'. Mas, se o debate sobre o 'abismo fiscal' for resolvido, o Fed poderia estar mais disposto a recuar", disse Wilkinson.

No fim da tarde em Nova York, o euro estava cotado a US$ 1,2830, nível mais baixo em um mês, de US$ 1,2943 ontem; o iene estava cotado a 80,38 por dólar, nível mais alto em seis meses, de,13 por dólar ontem; a libra estava cotada a US$ 1,6025, de US$ 1,6124 ontem. As informações são da Dow Jones.

Carregando...