Mercado fechado

Dólar tem sessão volátil com debate nos EUA e pressões fiscais no Brasil no radar

Marcelo Osakabe
·2 minutos de leitura

Investidores consideram ainda dados econômicos americanos O fechamento do mês e do trimestre, que traz de volta a tradicional disputa entre comprados e vendidos pela formação da Ptax (média das cotações do dia que corrige contratos futuros), manteve a voltatilidade do mercado do câmbio em alta nesta quarta-feira. Enquanto isto, investidores avaliam os efeitos do debate presidencial nos Estados Unidos, que foi bastante caótico, e também aguardam novidades sobre o projeto para o Renda Cidadã, que deve constar na PEC dos Gatilhos, a ser apresentada ainda hoje. Por volta das 15h, a moeda americana cedia 0,07%, saindo a R$ 5,6352. Ainda assim, o desempenho do real é bastante modesto na comparação com o de outros pares emergentes. Na pauta do dia, está a reação dos eleitores americanos ao debate de ontem entre presidente Donald Trump e o ex-vice-presidente Joe Biden. "Precisaremos ver os resultados das pesquisas nos próximos dias. É preciso notar, no entanto, que as apostas feitas em estados-pêndulo começaram a favorecer mais o candidato democrata desde o evento de ontem”, notam estrategistas do TD Securities. “Com a disputa tão próxima do fim, é pouco provável que o mercado cambial tenha espaço para discutir qualquer outro assunto. Isto deixa o dólar bastante sujeito à volatilidade, ainda que a tendência seja de valorização nas próximas semanas.” No ambiente brasileiro, a expectativa continua recaindo sobre o projeto de renda básica que o governo quer apresentar, bem como suas fontes de financiamento. Em entrevista concedida à rádio Jovem Pan esta manhã, o líder do governo no Senado, Fernado Bezerra Coelho (MDB-PE) reafirmou que a proposta de usar recursos dos precatórios e do Fundeb será mantida apesar da reação inicial negativa de analista e de autoridades. "As propostas continuam de pé, foram as primeiras reações e agora intensificamos o diálogo com as lideranças, com senadores e deputados e vamos demonstrar que, entre as alternativas colocadas, vamos respeitar o teto de gastos", disse Bezerra. "Esses dois instrumentos não são únicos, o senador Márcio Bittar (MDB-AC) vai apresentar seu relatório hoje detalhando outros instrumentos para uma compreensão melhor sobre a proposta.” CC0 Creative Commons / pixabay