Mercado fechará em 3 h 11 min

Dólar sobe e encosta em R$3,30 com exterior e de olho na Previdência

Por Claudia Violante
Notas de dólar 13/6/2017 REUTERS/Dado Ruvic/Illustration

Por Claudia Violante

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar encerrou a segunda-feira em alta e perto do nível de 3,30 reais, seguindo a trajetória da moeda norte-americana no exterior e com os investidores atentos às negociações do governo para tentar obter apoio para votar uma reforma da Previdência mais enxuta.

O dólar avançou 0,55 por cento, a 3,2986 reais na venda, depois de bater a mínima de 3,2799 reais e a máxima de 3,3016 reais neste pregão. O dólar futuro tinha alta de cerca de 0,50 por cento no final do dia.

"O mercado está em compasso de espera... mais passivo a movimentações internacionais", afirmou o operador de câmbio da corretora H.Commcor Cleber Alessie Machado.

O destaque ficou para a Grã-Bretanha, onde o cenário político pesava nos mercados, fazendo a libra recuar ante o dólar e afastar-se da mínima de oito dias atingida na sexta-feira.

Um grupo de 40 parlamentares britânicos do Partido Conservador, da primeira-ministra Theresa May, concordou em assinar uma carta de não confiança contra a premiê, relatou o jornal Sunday Times. Restariam apenas oito parlamentares para desencadear uma votação pela liderança, através da qual May pode perder o cargo.

O dólar subia ante uma cesta de moedas e também divisas de países emergentes, como o peso mexicano, também em meio a sinais de que a reforma tributária do presidente norte-americano, Donald Trump, pode sofrer atrasos.

Internamente, o foco seguiu nas negociações do governo para costurar um acordo político, que pode envolver uma reforma ministerial, e garantir a votação da reforma da Previdência ainda neste ano numa versão mais enxuta.

O Congresso Nacional, no entanto, deve trabalhar pouco nesta semana, marcada pelo feriado da Proclamação da República no dia 15 e em que não deve não haver votações importantes.

O calendário apertado para votações até o fim do ano ainda contempla outras pautas que são muito importantes para o governo, sobretudo em relação ao Orçamento de 2018, o que pode deixar o processo de convencimento do governo junto a parlamentares ainda mais sensível.

"O dólar deve continuar tendo dificuldades em se manter acima de 3,30 reais, mas rompimentos pontuais se mostram bastante prováveis, dada a expectativa de queda de volume de fim de ano... e as reformas da Previdência e tributária (dos EUA) impactando nossos ativos", afirmou Alessie Machado.