Mercado fechará em 5 h 23 min
  • BOVESPA

    109.357,06
    -831,51 (-0,75%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.020,65
    +221,19 (+0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    75,06
    +0,81 (+1,09%)
     
  • OURO

    1.788,30
    +5,90 (+0,33%)
     
  • BTC-USD

    16.863,60
    -156,16 (-0,92%)
     
  • CMC Crypto 200

    395,77
    -6,03 (-1,50%)
     
  • S&P500

    3.941,26
    -57,58 (-1,44%)
     
  • DOW JONES

    33.596,34
    -350,76 (-1,03%)
     
  • FTSE

    7.517,10
    -4,29 (-0,06%)
     
  • HANG SENG

    18.814,82
    -626,36 (-3,22%)
     
  • NIKKEI

    27.686,40
    -199,47 (-0,72%)
     
  • NASDAQ

    11.476,25
    -89,75 (-0,78%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5073
    +0,0286 (+0,52%)
     

Dólar sobe com expectativa por PEC e dúvidas sobre Fazenda

***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 24.01.2019 - Still de mão segurando cédulas de dólar. (Foto: Gabriel Cabral/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 24.01.2019 - Still de mão segurando cédulas de dólar. (Foto: Gabriel Cabral/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O dólar voltava do feriado com fortes ganhos frente ao real nesta quarta-feira (16), à medida que investidores aguardavam definições sobre os gastos extra-teto que serão incluídos na PEC da Transição e continuavam temerosos em meio a dúvidas sobre quem será o ministro da Fazenda de Luiz Inácio Lula da Silva.

Às 9h13 (de Brasília), o dólar à vista avançava 1,11%, a R$ 5,3615 na venda.

Na B3, às 9h13 (de Brasília), o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento subia 0,33%, a R$ 5,3770.

Nesta terça (15), os principais mercados mundiais de ações fecharam em alta, enquanto o mercado de ações brasileiro permaneceu fechado devido ao feriado da Proclamação da República.

O indicador de referência da Bolsa de Nova York, o S&P 500, subiu 0,87%, enquanto Dow Jones e Nasdaq ganharam 0,17% e 1,45%, respectivamente.

Analistas atribuíram a alta em Wall Street à renovação do otimismo quanto à possibilidade de que o Fed (Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos) irá desacelerar o ritmo de aumento da sua taxa de juros. Dados que mostraram uma trégua na inflação ao produtor em outubro reforçaram esse sentimento.

Além disso, o aperto de mãos entre Joe Biden e Xi Jinping criou expectativa de estabilidade na relação entre os EUA e a China.

Na segunda-feira (14), o mercado financeiro do Brasil deu sinais de recuperação após um tombo na semana passada. Investidores ajustaram suas expectativas diante de rumores de que o novo governo avalia reduzir o gasto extra-teto em relação ao inicialmente previsto.

Depois de altos e baixos ao longo do dia, o Ibovespa, referência da Bolsa brasileira, subiu 0,81%, aos 113.161 pontos. O dólar comercial à vista caiu 0,41%, cotado a R$ 5,3030, na venda. A valorização do real contrariou a alta do dólar diante das principais moedas globais nesta sessão.

Investidores observaram os movimentos da equipe de transição do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o debate sobre o quanto e de que forma a nova gestão poderá furar o teto de gastos para garantir o pagamento de benefícios sociais em 2023.

Informações da agência Bloomberg, citando fontes anônimas, apontaram que a equipe de Lula considerará uma abordagem mais conservadora, reduzindo os gastos acima do teto de R$ 175 bilhões para R$ 130 bilhões.

A entrega da PEC da transição, que acomoda os gastos extraordinários, acabou adiada em meio à falta de acordo político no Senado, e agora o governo de transição promete apresentar o texto nesta quarta-feira (16).