Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,91 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,62 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,96
    -0,65 (-0,90%)
     
  • OURO

    1.753,90
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    47.295,26
    -355,96 (-0,75%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.193,48
    -32,05 (-2,62%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,44 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    24.920,76
    +252,91 (+1,03%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,71 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.530,00
    +12,25 (+0,08%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1994
    +0,0146 (+0,24%)
     

Dólar perde força e vai às mínimas do dia com apetite global por risco

·1 minuto de leitura
Notas de reais e dólares dos EUA

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar perdia força ante o real no fim da manhã desta segunda-feira, acompanhando o menor vigor da moeda norte-americana lá fora diante de mais um dia de busca por risco diante do alívio em receios de um corte iminente de estímulos nos EUA.

O dólar à vista caía 0,15%, a 5,1894 reais, por volta de 12h16, pouco depois de renovar a mínima intradiária ao descer a 5,1825 reais (-0,28%). Na máxima, alcançada ainda na primeira meia hora de negócios, a moeda subiu 0,58%, a 5,2273 reais.

No exterior, o índice do dólar frente a uma cesta de divisas tinha variação negativa de 0,01%, após subir 0,12% mais cedo.

O mercado seguia sob a batuta da sinalização do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) dada no fim da semana passada de que não deverá haver redução de compras de títulos até o fim do ano. Na ocasião, o chair do Fed, Jerome Powell, indicou também que alta de juros ainda é um cenário distante.

As falas melhoraram o humor dos investidores porque apontam manutenção de injeção mensal de 120 bilhões de dólares no mercado, liquidez que pode continuar a fluir para ativos de risco --como ações, moedas emergentes e commodities--, o que em parte ajuda a explicar os sucessivos recordes em mercados de ações nos EUA, sobretudo, e também na Europa.

(Por José de Castro)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos