Dólar segue trajetória externa e sobe 0,44% na semana

O dólar permaneceu em margens restritas nesta sexta-feira. Nos momentos de elevação, a moeda não teve ímpeto para tocar R$ 2,05, cotação limitada pela percepção de que um real mais fortalecido beneficia o controle de preços em um ambiente de inflação sob pressão e de que tal nível pode deflagrar atuações do Banco Central.

O dólar à vista fechou a R$ 2,045, com ganho de 0,10%. Na semana, a valorização é de 0,44%. Na máxima do dia, a moeda tocou R$ 2,047 e chegou a R$ 2,041 na mínima. Entre as duas pontas, a oscilação ficou em 0,30%. Não houve negócios com o dólar pronto na BM&F. Perto das 16 horas, a clearing marcava giro financeiro de US$ 1,883 bilhão. No mesmo horário, o dólar para fevereiro marcava R$ 2,048, com alta de 0,22%, na BM&F. Na máxima, a moeda chegou a R$ 2,0495.

"O mercado percebe que o nível para o dólar em R$ 2,05 será defendido pelo Banco Central. Assim, quando a moeda se aproxima de tal patamar, o mercado se retrai uma vez que deve haver intervenção", citou um analista.

A alta do dólar ante o real acompanha a trajetória da divisa dos Estados Unidos no exterior, em meio ao recuo das Bolsas em Nova York em grande parte do dia. Uma leitura mais enfraquecida do índice de confiança ao consumidor nos EUA e reflexos dos resultados da Intel, divulgados na noite passada, se sobrepunham aos dados da China. Entre os investidores de câmbio, há também cautela com a aproximação do feriado de Martin Luther King, na segunda-feira (21), nos EUA.

O PIB da China teve aceleração para 7,9% no quarto trimestre de 2012 ante o mesmo período no ano anterior, acima de 7,4% no terceiro trimestre, confirmando que a economia chinesa deu início a uma recuperação moderada, segundo o economista sênior do banco dinamarquês Danske Bank, Flemming Nielsen.

Ainda assim, os números chineses não conseguiram estimular as moedas de elevada correlação com os preços das commodities. Perto das 16 horas, o dólar norte-americano subia 0,41% ante o dólar australiano, avançava 0,72% ante o canadense e subia 0,10% ante o neozelandês. "O mundo se acostumou a números estratosféricos de crescimento da China que não são mais possíveis. Então, hoje vem número maravilhoso para o PIB e que todo mundo acha baixo", comentou um estrategista de câmbio.

No mesmo horário, o ganho do dólar Index, que mede a oscilação do dólar ante uma cesta de seis moedas, era de 0,46%. Também em torno das 16 horas, o euro estava em US$ 1,3324, ante US$ 1,3378 da tarde da véspera, em um movimento de correção ante os ganhos recentes.

Carregando...