Mercado abrirá em 4 h 58 min
  • BOVESPA

    116.230,12
    +95,66 (+0,08%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.046,58
    +616,83 (+1,36%)
     
  • PETROLEO CRU

    86,55
    +0,03 (+0,03%)
     
  • OURO

    1.724,90
    -5,60 (-0,32%)
     
  • BTC-USD

    20.249,89
    +309,66 (+1,55%)
     
  • CMC Crypto 200

    458,87
    +13,43 (+3,02%)
     
  • S&P500

    3.790,93
    +112,50 (+3,06%)
     
  • DOW JONES

    30.316,32
    +825,43 (+2,80%)
     
  • FTSE

    7.051,75
    -34,71 (-0,49%)
     
  • HANG SENG

    18.066,96
    +987,45 (+5,78%)
     
  • NIKKEI

    27.120,53
    +128,32 (+0,48%)
     
  • NASDAQ

    11.588,75
    -52,00 (-0,45%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1553
    -0,0126 (-0,24%)
     

Dólar se afasta de máximas ante real, mas receios sobre China seguem no radar

Nota de dólar

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar devolveu boa parte de seus ganhos contra o real nesta segunda-feira, pressionado por fluxos pontuais para o mercado brasileiro, mas temores de recessão global --reforçados neste pregão por dados fracos da China-- continuavam no radar de investidores.

Às 13:39 (de Brasília), o dólar à vista avançava 0,15%, a 5,0820 reais na venda.

Na B3, às 13:39 (de Brasília), o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento subia 0,07%, a 5,1070 reais.

Mais cedo, a moeda à vista chegou a avançar 1,33%, a 5,1418 reais, acompanhando movimento globalmente coordenado de busca por segurança após dados mostrarem que a economia chinesa desacelerou inesperadamente em julho, com as atividades industrial e varejista sofrendo com a política de Covid zero e uma crise imobiliária no país.

Isso levou o banco central chinês a cortar suas principais taxas de empréstimo inesperadamente nesta segunda-feira, buscando reanimar a demanda.

"Dados sobre a atividade da economia por lá (China) assustaram o mercado, principalmente os países ligados a commodities, como o Brasil", disse à Reuters Fernando Bergallo, diretor de operações da FB Capital.

Mas, "depois disso, o mercado atenuou muito a queda na Bovespa, e acabou então havendo um fluxo pontual para o Brasil que deixou o dólar mais ameno, distanciando-se das máximas", acrescentou ele, citando preços atrativos de alguns papéis no mercado de ações local.

Por volta de 13h40 (de Brasília), o Ibovespa tinha alta de 0,11%, a 112.889,98 pontos, devolvendo perdas de mais cedo.

Apesar dessa melhora no mercado doméstico, seguem reverberando as notícias envolvendo a China, afirmou Bergallo.

(Por Luana Maria Benedito)