Mercado abrirá em 6 h 20 min
  • BOVESPA

    113.430,54
    +1.157,53 (+1,03%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    54.564,27
    +42,84 (+0,08%)
     
  • PETROLEO CRU

    79,07
    +0,20 (+0,25%)
     
  • OURO

    1.941,70
    -3,60 (-0,19%)
     
  • BTC-USD

    23.152,06
    +283,90 (+1,24%)
     
  • CMC Crypto 200

    524,33
    +5,54 (+1,07%)
     
  • S&P500

    4.076,60
    +58,83 (+1,46%)
     
  • DOW JONES

    34.086,04
    +368,95 (+1,09%)
     
  • FTSE

    7.771,70
    -13,17 (-0,17%)
     
  • HANG SENG

    21.896,63
    +54,30 (+0,25%)
     
  • NIKKEI

    27.354,88
    +27,77 (+0,10%)
     
  • NASDAQ

    12.105,00
    -47,00 (-0,39%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5191
    +0,0035 (+0,06%)
     

Dólar ronda mínima de sete meses; iene em foco

Por Rae Wee e Alun John

CINGAPURA/LONDRES (Reuters) - O dólar começou a semana em baixa, atingindo uma mínima de sete meses contra uma cesta de moedas fortes no início do dia, mas se estabilizou na sequência, enquanto o iene permanece em foco devido às apostas dos operadores de que o Banco do Japão ajustará ainda mais sua política de controle de rendimento.

O euro atingiu uma nova máxima de nove meses, a 1,0874 dólar, na abertura, antes de recuar para 1,0816 dólar, em queda de 0,16%. Já o dólar australiano ultrapassou o nível de 0,70 dólar pela primeira vez desde agosto, porém cedeu depois para 0,6962 dólar.

Devido também à força inicial da libra e do iene, o dólar caiu mais cedo para a mínima de sete meses, a 101,77, ante uma cesta de moedas, estendendo as perdas da semana passada, após dados mostraram recuo mensal nos preços ao consumidor dos Estados Unidos pela primeira vez em mais de 2 anos e meio.

Com sinais de que a maior inflação em décadas nos EUA está desacelerando, os investidores agora estão cada vez mais confiantes de que o Federal Reserve (Fed) está chegando ao fim de seu ciclo de aumento de juros e que as taxas não subirão tanto quanto se temia.

Os aumentos agressivos de juros pelo Fed foram um dos principais responsáveis pela alta de 8% do dólar no ano passado. No entanto, sinais de que a inflação está chegando ao pico trouxeram a moeda de volta.

Apesar do desempenho mais cedo, o dólar recuperava terreno em relação à libra, que caía 0,3%, a 1,2195 dólar.

Um foco especial nos mercados de câmbio nesta semana é o iene, devido à especulação de que o Banco do Japão fará mais ajustes ou abandonará totalmente sua política de controle de rendimento em reunião marcada para terminar na quarta-feira.

O dólar caiu para a mínima de mais de sete meses em relação ao iene na abertura, antes de se recuperar. A divisa negociava a 128,4 ienes, alta de 0,4%.

(Por Rae Wee, em Cingapura, e Alun John, em Londres)