Mercado fechado

Dólar recua e segue abaixo de R$5 com esperanças de recuperação global

Por Luana Maria Benedito

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar operava em queda contra o real nesta segunda-feira, permanecendo abaixo de 5 reais e dando sequência às perdas das últimas semanas em meio a otimismo sobre uma recuperação econômica no exterior, embora as incertezas políticas domésticas continuem no radar dos investidores.

Às 10:10, o dólar recuava 0,69%, a 4,9534 reais na venda. Na B3, o dólar futuro tinha perda de 0,11%, a 4,967 reais.

A sessão era marcada pela continuidade do otimismo em relação a uma recuperação econômica global, impulsionado por dados positivos sobre o emprego nos Estados Unidos da semana passada. Enquanto isso, a reabertura de grandes economias continuava sendo um ponto positivo no cenário atual, como citou Filipe Villegas, estrategista da Genial Investimentos, em live nesta segunda-feira.

Além disso, os investidores estavam em modo de espera antes da decisão de política monetária do Federal Reserve, que será divulgada na quarta-feira. "Essa semana tem reunião do Fomc e a gente vai saber se ele continua na sua mesma modelagem de atuação e incentivos ou se o arsenal do Fed está acabando", disse Villegas.

No exterior, ativos arriscados -- como os futuros de Wall Street e divisas de países emergentes ou ligadas a commodities -- operavam em alta, dando continuidade à recuperação observada nas últimas semanas.

Apesar do otimismo, os desdobramentos políticos em Brasília seguem no foco dos mercados, que continuam apontando a incerteza local como possível fator de pressão para o real. Em nota, analistas da Infinity Asset disseram que, "politicamente, entre votações do TSE e ações de fake news no STF, o governo se sustenta na aproximação com o Centrão e (o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo) Maia, o qual desqualificou a possibilidade de novo impeachment. Ainda assim, o clima político continua tenso e a imagem do Brasil no exterior piorada".

Números divergentes de casos e de mortes relacionado à Covid-19 no Brasil divulgados pelo Ministério da Saúde agravavam os temores sobre a imagem do país, aumentando as incertezas sobre os dados depois que o governo parou de informar o total de infecções confirmadas e de óbitos e passou a divulgar dados parciais tarde da noite.

Mesmo com as incertezas e riscos negativos, o dólar já perdeu cerca de 15% de seu valor contra o real desde que tocou máximas históricas em meados de março. Para os mercados, ainda é difícil dizer se a moeda brasileira deve engatar uma recuperação duradoura ou se pode voltar a se aproximar do patamar de 6 por dólar.

Na última sessão, na sexta-feira, o dólar spot fechou em queda de 2,80%, a 4,9877 reais na venda.

O Banco Central ofertará até 12 mil contratos de swap tradicional para rolagem nesta segunda-feira, com vencimentos divididos entre setembro de 2020 e fevereiro de 2021.