Mercado abrirá em 1 h 50 min
  • BOVESPA

    122.937,87
    +1.057,05 (+0,87%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.371,98
    +152,72 (+0,31%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,57
    +0,30 (+0,45%)
     
  • OURO

    1.869,30
    +1,70 (+0,09%)
     
  • BTC-USD

    45.305,51
    +647,41 (+1,45%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.260,91
    +63,00 (+5,26%)
     
  • S&P500

    4.163,29
    -10,56 (-0,25%)
     
  • DOW JONES

    34.327,79
    -54,34 (-0,16%)
     
  • FTSE

    7.065,89
    +33,04 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    28.593,81
    +399,72 (+1,42%)
     
  • NIKKEI

    28.406,84
    +582,01 (+2,09%)
     
  • NASDAQ

    13.396,00
    +92,50 (+0,70%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4395
    +0,0296 (+0,46%)
     

Dólar recua e Bitcoin cai para R$ 306 mil mesmo com expectativa de inflação

Kesia Rodrigues
·2 minuto de leitura

Possível efeito da aceleração do ritmo de vacinação na Europa, dentre outros fatores, faz o dólar recuar e encostar em R$ 5,53 na manhã desta terça-feira (20).

O Boletim Focus, divulgado na segunda-feira (19), mostrou que a taxa de câmbio irá para R$ 5,40 até o final deste ano.

Especialistas acreditam que se a economia brasileira não fosse tão volátil, a moeda americana poderia ficar abaixo de R$ 5. Dessa maneira, de acordo com o relatório do Banco Central, o dólar pode cair no máximo para R$ 5,26 em 2022.

Para analistas do mercado financeiro, a oscilação do dólar no Brasil se relaciona, também, com o momento instável que o país vive, sobretudo no combate à pandemia e a elevação dos gastos públicos.

Jason Vieira, economista-chefe da Infinity Asset, acredita que o dólar não diminuirá enquanto o Brasil tiver um cenário político e fiscal conturbado.

A repercussão dos acontecimentos políticos no país, como as intervenções presidenciais em empresas estatais, a piora fiscal decorrente da pandemia, dentre outros pontos, corroboram para a desvalorização do real.

Inflação

Com a queda do dólar, o mercado prevê uma inflação maior para 2021. Estima-se que a taxa Selic seja de 5,25%. Até o mês passado, ela estava prevista em 5%.

Ainda de acordo com o Boletim, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) irá para 4,92%.

Segundo o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, que terá seu mandato estendido até 2024, conforme decreto publicado nesta terça-feira (20), o BC está atento aos impactos do câmbio. Campos Neto espera uma elevação dos juros básicos.

Queda do Bitcoin: resposta ao recuo do dólar?

dólar
dólar

Após recente máxima histórica, o Bitcoin segue em movimento corretivo. Nesta madrugada, após vir de máxima acima de R$ 375 mil na última quarta-feira (14), a moeda digital chegou a R$ 306 mil, segundo dados do agregador Cointrader Monitor.

Não há consenso sobre a razão da queda do ativo. O movimento pode ter relação com o recuo do dólar, já que o preço no Brasil reflete a cotação do ativo no exterior.

No entanto, a moeda brasileira parece ter espaço para valorização por conta das perdas recentes. Dessa forma, mesmo com a expectativa de inflação, o Bitcoin pode não ter o preço impulsionado no par com o real, como vinha acontecendo até então.

Além disso, outros motivos para a queda do Bitcoin têm sido discutidos, como a realização de lucros depois da IPO da Coinbase, corretora americana de criptomoedas que passou a ser negociada na Bolsa de Nova York na semana passada.

No fechamento da matéria, a criptomoeda era cotada nas exchanges brasileiras, em média, por pouco mais de R$ 314 mil.

O artigo Dólar recua e Bitcoin cai para R$ 306 mil mesmo com expectativa de inflação foi visto pela primeira vez em BeInCrypto.