Mercado fechado
  • BOVESPA

    102.224,26
    -3.586,74 (-3,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.492,52
    -1.132,48 (-2,24%)
     
  • PETROLEO CRU

    70,96
    +2,81 (+4,12%)
     
  • OURO

    1.792,00
    +3,90 (+0,22%)
     
  • BTC-USD

    57.129,75
    +2.618,76 (+4,80%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.365,60
    -89,81 (-6,17%)
     
  • S&P500

    4.594,62
    -106,84 (-2,27%)
     
  • DOW JONES

    34.899,34
    -905,06 (-2,53%)
     
  • FTSE

    7.044,03
    -266,34 (-3,64%)
     
  • HANG SENG

    24.080,52
    -659,68 (-2,67%)
     
  • NIKKEI

    28.751,62
    -747,68 (-2,53%)
     
  • NASDAQ

    16.153,50
    +102,50 (+0,64%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3046
    +0,0664 (+1,06%)
     

Dólar anula queda e ronda estabilidade em dia volátil por temores sobre pandemia

·2 min de leitura

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar anulou quase toda a queda de mais cedo e passava a oscilar em torno da estabilidade ante o real nesta sexta-feira, depois de cair quase 3%, à medida que os mercados externos exibiam trégua conforme estímulos de bancos centrais em todo o mundo compensavam temores em relação ao coronavírus.

Às 14:25, o dólar recuava 0,07%, a 4,7822 reais na venda.

A divisa norte-americana havia iniciado o dia com perdas significativas contra o real, chegando a tocar 4,6437 reais na mínima do dia, queda de 2,97%.

Na quinta-feira, o Federal Reserve surpreendeu os mercados ao anunciar oferta nesta semana de 1,5 trilhão de dólares em operações no mercado monetário, enquanto no Brasil o Banco Central recorreu a uma terceira ferramenta de intervenção cambial ao ofertar até 2 bilhões de dólares por meio de leilões de linhas nesta sexta-feira.

Apesar de ter fornecido certo alívio mais cedo, a medida do Fed era ofuscada por notícia de que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, vai declarar nesta sexta-feira emergência nacional devido ao rápido avanço do surto do coronavírus, segundo uma fonte familiarizada com o assunto.

Depois da divulgação da notícia, o dólar chegou a tocar 4,8067 reais, máxima intradia, alta de 0,44%, passando a oscilar entre leve altas e baixas.

"Como o coronavírus é uma doença nova, ainda não é possível saber qual seu impacto efetivo para a economia", disse em nota a Levante Investimentos. "Incerteza afeta os preços e aumenta a volatilidade no curto prazo."

Guilherme Esquelbek, da Correparti Corretora, afirmou que "a volatilidade deverá permanecer pois não há fato novo que aponte o fim dessa turbulência".

A volatilidade implícita nas opções de dólar/real de três meses --uma medida do grau de incerteza no mercado de câmbio-- caía a 18% ao ano nesta sexta, depois de mais cedo ter superado 20,5%, máxima desde outubro de 2018, e mais que o dobro dos patamares vistos no fim de fevereiro.

Na quinta-feira, o dólar fechou em alta de 1,38% contra a moeda brasileira, a 4,7857 reais na venda, novo recorde histórico para encerramento, e chegou a superar mais de 5 reais na máxima do pregão.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos