Mercado abrirá em 6 h 55 min

Dólar recua ante real acompanhando exterior e à espera do Fed

Por Luana Maria Benedito

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar tinha queda contra o real nesta quarta-feira, em linha com o movimento de outras moedas emergentes em dia de ampla expectativa sobre a reunião de política monetária do Federal Reserve, que deve fornecer pistas sobre a saúde econômica dos Estados Unidos.

Às10h15, o dólar recuava 0,3%, a 4,8739 reais na venda. O principal contrato de dólar futuro caía 0,76%, a 4,8675 reais.

Mais cedo, o dólar havia chegado a 4,8395 reais na mínima do dia, e analistas citaram a possibilidade de volatilidade no pregão.

Nesta quarta-feira, ao final de uma reunião de dois dias, as autoridades do Fed publicarão suas primeiras projeções econômicas desde que a pandemia de coronavírus desencadeou uma recessão, a partir de fevereiro, encerrando uma expansão de uma década nos Estados Unidos.

Em nota, Ricardo Gomes da Silva Filho, da Correparti Corretora, citou alguma ansiedade dos investidores em relação à reunião, bem como expectativas sobre a entrevista na sequência do chair do Fed, Jerome Powell.

Analistas da Infinity Asset escreveram em nota que "entender o ponto de vista da autoridade monetária sobre a economia neste momento é importante para entender a velocidade esperada da recuperação dos indicadores econômicos em meio à retomada parcial da atividade em diversas localidades".

No exterior, as bolsas europeias e os futuros de Wall Street operavam em queda nesta sessão, enquanto o dólar recuava contra uma cesta de seus principais pares. Ao mesmo tempo, divisas emergentes e ligadas a commodities -- como peso mexicano, dólar australiano, lira turca e rand sul-africano -- ganhavam força contra a moeda norte-americana.

Enquanto isso, os investidores também digeriam a notícia de que a OCDE estimou que o Brasil deve encolher 7,4% este ano e crescer 4,2% em 2021, mas pode chegar a cair 9,1% este ano se houver uma segunda onda de infecções por coronavírus, com crescimento de 2,4% no ano seguinte.

Apesar dos riscos negativos, o dólar continua abaixo da marca de 5 reais e já perdeu força desde que ficou próximo de superar os 6 reais em meados de março. Ainda assim, com a permanência do cenário de juros baixos e incerteza política no Brasil, não está claro para os mercados se essa recuperação do real será definitiva.

Na última sessão, o dólar à vista fechou em alta de 0,69%, a 4,8885 reais na venda.

O Banco Central ofertará neste pregão até 12 mil contratos de swap tradicional com vencimento em setembro de 2020 e fevereiro de 2021.